Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Do garrafão de vinho tinto ao bag in box

por josé simões, em 10.05.21

 

vime-velho-do-garrafão.jpg

 

 

"A agricultura paga bem. Quando tu trabalhas ganhas bónus. Por exemplo, num restaurante pagam 600/ 700 euros por mês, não há bónus não há nada, aqui na agricultura eles podem ganhar bónus e o ordenado chegar a 1000/ 1200 euros, depende do que uma pessoa quer trabalhar" diz no telejornal da televisão do militante n.º 1 um migrante búlgaro trabalhador nos campos de Odemira, todo cheio de si, de certezas e do mirabolante ordenado que são 1200€/ mês a trabalhar 12 horas por dia.

 

No Alentejo, no tempo da 'aceifa', nos idos do fascismo de Salazar e Caetano, o 'manageiro' chegava, metia um garrafão de vinho tinto à frente dos homens, no final da fiada antes de acabar a safra, e dizia "é para o primeiro que chegar aqui", e eles, na sua santa ignorância e no espírito competitivo de ser melhor que o camarada do lado, continuavam desalmadamente a dar à foice até ao pôr-do-sol.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Opinião e "liberdade de informação"

por josé simões, em 10.05.21

 

x.jpg

 

 

Em que é que a opinião de João Galamba, enquanto secretário de Estado, ou enquanto cidadão anónimo, sobre uma bosta televisiva e com agenda direccionada, de seu nome Sexta às 9, ao nível de um tempo de antena da televisão do Correio da Manha [sem til] na televisão pública, atenta contra o bom nome de quem quer que seja e "desrespeita a liberdade de informação"?

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

"Just Because I Am a Woman"

por josé simões, em 09.05.21

 

1 aleXsandro Palombo.jpg

 

 

2 aleXsandro Palombo.jpg

 

 

[Link nas imagens]

 

 

 

 

Sign O' The Times, CLXV

por josé simões, em 09.05.21

 

1.jpg

 

 

2.jpg

 

 

3.jpg

 

 

4.jpg

 

 

5.jpg

 

 

7.jpg

 

 

8.jpg

 

 

9.jpg

 

 

10.jpg

 

 

11.jpg

 

 

12.jpg

 

 

13.jpg

 

 

15.jpg

 

 

16.jpg

 

 

17.jpg

 

 

18.jpg

 

 

19.jpg

 

 

20.jpg

 

 

21.jpg

 

 

22.jpg

 

 

23.jpg

 

 

24.jpg

 

 

25.jpg

 

 

26.jpg

 

 

27.jpg

 

 

28.jpg

 

 

29.jpg

 

 

30.jpg

 

 

31.jpg

 

 

 

32.jpg

 

 

33.jpg

 

 

34.jpg

 

 

35.jpg

 

 

36.jpg

 

 

37.jpg

 

 

38.jpg

 

 

39.jpg

 

 

40.jpg

 

 

41.jpg

 

 

42.jpg

 

 

43.jpg

 

 

44.jpg

 

 

45.jpg

 

 

49.jpg

 

 

46.jpg

 

 

50.jpg

 

 

47.jpg

 

 

48.jpg

 

 

51.jpg

 

 

53.jpg

 

 

52.jpg

 

 

56.jpg

 

 

57.jpg

 

 

58.jpg

 

 

59.jpg

 

 

60.jpg

 

 

61.jpg

 

 

62.jpg

 

 

63.jpg

 

 

65.jpg

 

 

66.jpg

 

 

6.jpg

 

 

Sign O' The Times, Capítulo CLXIV

 

 

 

 

Fim-de-semana

por josé simões, em 09.05.21

 

wrm.jpg

 

 

Este fim-de-semana foi assim.

 

Girls in the back ~ White Rose Movement

 

[7" vinyl]

 

 

 

 

9 de Maio de 1921 - 9 de Maio de 2021

por josé simões, em 09.05.21

 

Sophie_Scholl.jpg

 

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Inferno

por josé simões, em 08.05.21

 

A woman cries during the cremation of her husband,

 

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Relatório e Contas. Resumo da Semana

por josé simões, em 08.05.21

 

Frieze.jpg

 

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Porque hoje é sábado

por josé simões, em 08.05.21

 

Galway, Ireland, 1988 Harry Gruyaert.jpg

 

 

Galway, Ireland, 1988

 

Harry Gruyaert

 

 

 

 

A "venezuelização" do país

por josé simões, em 07.05.21

 

pacto de varsovia logo.jpg

 

 

Não deixa de ser curioso ver aqueles que mais rejubilam com o julgamento e prisão de José Sócrates serem aqueles que se agarram com unhas e dentes a uma trafulhice de José Sócrates em Reserva Ecológica Nacional e Reserva Agrícola Nacional, ao inventar um PIN para um parque de campismo com capacidade até 1572 campistas e com o reforço da vegetação autóctone e resistente ao fogo, para acabar na chico-espertice das barracas de madeira, em terreno não passível de fraccionamento ou loteamento para construção, cuja licença terminou em 2019 e com a sociedade que explora o lugar a ser declarada insolvente em 2020. Ilegalidades atrás de ilegalidades. Portanto, partindo do princípio de que o Estado somos todos, tenho eu, o outro qualquer cidadão, tanto direito àquela "propriedade privada" como os alegados proprietários que mais não são que os donos das ripas de madeira que pagaram ao chico-esperto que lhes geria o condomínio.

 

Entretanto um mascarado, porta-voz dos barricados na porta do empreendimento à espera da invasão dos tanques do Pacto de Varsóvia [link na imagem], diz na televisão do militante n.º 1 que já falou com alguns dos migrantes, que "estão assustadíssimos e que alguns até já perderam o emprego". Alto e pára o baile. É aqui que todos deviam perceber a importância do contrato de trabalho, da contratação colectiva, dos direitos e garantias. Alguém se imagina na situação de ser despedido por falta ao trabalho numa situação de emergência sanitária e de saúde pública? Sim, nos States. Ou nos programas do Ilusão Liberal e do Chaga.

 

 

 

 

In Memoriam

por josé simões, em 07.05.21

 

Dr. Yitzhak Arad.jpg

 

 

Yitzhak Arad

 

1926 - 2021

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

(You Gotta) Fight for Your Right (To Party!)

por josé simões, em 06.05.21

 

Christian Escobar Mora.jpg

 

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Para bom entendedor

por josé simões, em 06.05.21

 

ventura.jpeg

 

 

Não é apenas explorar a mão de obra imigrante, é tratá-la em termos humanos, tratá-la com a dignidade que vem na Constituição. É muito bonito dizer-se que "não, imigrantes não!" e depois descobrir-se que "imigrantes sim!" quando dão jeito para trabalhar a fazer aquilo que os portugueses não fazem, mas já não dão jeito para terem os direitos que lhes deviam corresponder.

 

Para bom entendedor, Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, aos cinco dias do mês de Maio do Ano da Graça de 2021.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Trabalhar para aquecer

por josé simões, em 05.05.21

 

David Lyle.jpg

 

 

Quando José Sócrates aparecia nas aberturas dos telejornais, depois de mais um PIN atentatório do património ecológico e ambiental comum, em tendas montadas no "local do crime" por empresas organizadoras de eventos a anunciar "um dia histórico" para o país e para a região, com um investimento de não sei quantos milhões de euros, gerador de mais não sei quantos milhares de empregos, directos e indirectos, nunca posteriormente confirmados pela comunicação social pé de microfone, e Manuela Ferreira Leite ousou argumentar que tal criação de emprego era na Moldávia, no Brasil ou em Cabo Verde, levou com a esquerda [quase] toda em cima, sem ver o que estava à frente de todos no dia-a-dia e sem raciocinar e perceber que esta reacção emotiva às palavras da então líder do PSD mais não era que assinar por baixo um dos princípios base do capitalismo neo-liberal: a desregulação total e a total ausência de direitos e garantias em nome do objectivo lucro máximo-despesa mínima e bem-estar de uma minoria.

Agora que temos em Odemira, Almograve, no Perímetro de Rega do Mira, e um pouco por todo o país, do Alqueva ao nordeste transmontano, a criação de emprego no Nepal, Paquistão e Sri Lanka, se calhar a esquerda "cão de Pavolov" já fazia um acto de contrição.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Entretanto numa realidade paralela...

por josé simões, em 05.05.21

 

Protesters hold placards saying arrest Bill Gates

 

 

No, Melinda Gates didn't leave Bill Gates because he was going to “kill more people than Hitler.”⁠

 

[Outro link na imagem]

 

 

 

 

Pág. 1/2