Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Ohio 2016

por josé simões, em 18.07.16

 

berlinbiennale2016.jpg

 

 

[Imagem]

 

 

 

 

Meh

por josé simões, em 18.07.16

 

GNEBORG.jpg

 

 

Mindinho Mendes anunciou com ar grave e muita pompa e circunstância e grandes movimentos de mãos e fartura de gestos no tampo da mesa, e as televisões todas e os jornais todos repetiram todos a grande nova e o grande furo jornalístico que foi o acesso a uma carta do Banco Central Europeu, a outra face da moeda dos Estados não terem acesso directo ao crédito – o BCE empresta aos bancos que por sua vez emprestam aos Estados, e que é o BCE decretar que dinheiro dos contribuintes – ler "ir ao bolso ao contribuinte", "esbulhar salários e pensões", "esmifrar poupanças", só para recapitalizar bancos privados, bancos públicos não, never, nein, já-mé. E depois toda a gente de boca aberta comentou a grã descoberta de Mindinho Mendes e as televisões todas e as rádios todas fizeram todas no dia a seguir fóruns de debate mui participados.


Isto é a gozar, certo? Ou falta de assunto, certo? Ou aquela coisa da estação parva que chega com o calor?


[Imagem]

 

 

 

 

Um caminho perigoso

por josé simões, em 18.07.16

 

Seth – Range Ta Chabre @ Teatro India (999 Conte

 

 

Um paineleiro-comentadeiro na televisão do militante n.º 1 afirmava, mais ponto menos vírgula, que todos os terroristas [islâmicos, para o caso] são pessoas desequilibradas, com problemas psicológicos que os levam a enveredar pelo terrorismo. É um caminho perigoso o desta análise. Perigoso porque segue na linha politicamente correcta dominante de desculpabilizar uma religião dividindo-a entre os verdadeiros e os falsos seguidores, de esconder a relação entre terrorismo e islamismo; perigoso porque, verdadeiros ou falsos, rezam a Deus antes de cometerem as maiores das maiores barbaridades enquanto gritam o Seu nome, o que, em última instância, nos leva inevitavelmente ao "todos os crentes numa entidade omnipotente, omnisciente e omnipresente, são terroristas em potência".


[Imagem]