Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Terrorismos

por josé simões, em 29.06.16

 

thomapyrin-damn-it-oh-shit-bugger-off.jpg

 

 

Um dia depois do Estado Islâmico ter resolvido morder na mão que lhe dá de comer a televisão do militante n.º 1, SIC Notícias, convidou Miguel Monjardino, uma espécie de Nuno Rogeiro com estudos pago ao preço do Nuno Rogeiro, para repetir ad nauseam que o Daesh é um "grupo revolucionário". "Obrigado pela análise", agradeceram no fim os pivots do telejornal, depois de à tarde uma estagiária ter andado na Portela de Sacavém de microfone na mão a perguntar a quem ia embarcar se tinha medo de um eventual atentado terrorista.


[Imagem]

 

 

 

 

Um terrorista investido nas funções de ministro

por josé simões, em 29.06.16

 

Andreas-Baader.jpg

 

 

A agência Bloomberg citou esta quarta-feira declarações de Wolfgang Schäuble que diziam que Portugal iria "pedir novo programa" e que iria tê-lo.


Um digno sucessor de Andreas Baader.

 

 

 

 

Uma lei do Condicionamento Televisivo é que era

por josé simões, em 29.06.16

 

 

 

Afinal a concorrência é boa para o consumidor desde que a oferta privada seja em exclusividade e continue a ganhar o mesmo que ganharia no caso de não haver concorrência. O consumidor que opta por comprar aparelhos high definition, os que se vendem nas lojas da especialidade e em todas as prateleiras dos hipers da especialidade ou não, os mesmos consumidores que optam por comprar carros com airbag e ABS contra uma minoria que continua a conduzir as carcaças velhas sem direcção assistida nem ar condicionado e com leitor de cassetes no tablier. "A SIC e a TVI desejariam mais uma vez inovar" e "repudiam quaisquer eventuais opções de políticas públicas para o desenvolvimento da TDT", foram eles quem o escreveu, atenção, e "que possam agravar o já difícil quadro económico que caracteriza o sector dos media em Portugal, designadamente, o sector televisivo generalista de âmbito nacional, já em si pressionado pela estagnação do investimento publicitário nacional, por um lado, e pelo incremento da concorrência televisiva internacional" sendo para tal urgente a elaboração de uma lei do Condicionamento Televisivo que proteja o produto nacional da oferta estrangeira, não o disseram mas está subjacente, eis a verdadeira inovação que protegeria o operador privado da opções de escolha do consumidor enquanto a "frente de batalha" não se transfere para a net e para os laptop, andróides e tabletes.