Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Nas ventas

por josé simões, em 02.06.16

 

 

 

Depois da câmara de televisão, estrategicamente colocada na Portela de Sacavém para ver passar El Chapo Sócras, algemado dentro do carro da 'judite' – o jornalista ia a passar por ali e desconfiou que qualquer coisa estava prestes a acontecer; depois das manchetes, todos os dias no Correio da Manha [sem til] e no i, com pormenores detalhados da investigação, condensados ao fim-de-semana no Sol e ditos de viva-voz pela Cabrita na TVI, Ventinhas, presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público, sem se rir, ou a rir-se por dentro a gozar com todos os portugueses e com o Estado de direito, que

 

Alguns meios de comunicação social são controlados por alguns arguidos poderosos que tentam, através desses meios, deslegitimar a atuação do Ministério Público na opinião pública ou condicionar a sua intervenção

 

insinuando com o manhoso do Proença de Carvalho, que já foi advogado do bandido El Chapo Sócras, e que agora é presidente do conselho de administração de um grupo de comunicação social, que deve ser precisamente o proprietário do jornal que falta falta fazer primeiras páginas com os pormenores da investigação a El Chapo Sócras que, por qualquer razão, os outros se esqueceram de publicar. Ventinhas que em Dezembro de 2015 já tinha julgado e condenado José Sócrates à porta fechada, e sem possibilidade de defesa.


Se isto fosse com um ministro, com um secretário de Estado, com um presidente de Câmara, com um director-geral de qualquer coisa, com um comandante da polícia ou uma patente militar com responsabilidades superiores na cadeia de comando, por exemplo, se depois destas bocarras não pedisse logo de imediato a demissão, haveria, de certeza, alguém hierarquicamente superior que lhe faria ver a necessidade, irrevogável, de o fazer. Assim vamos ter de levar com ele nas ventas, até que a reforma o chame.

 

 

 

 

Isto está tudo ligado

por josé simões, em 02.06.16

 

Fundação Social Democrata da Madeira logo.jpg

 

 

A Fundação Social Democrata da Madeira, que escapou a sanha persecutória do governo da direita radical a fritar toucinho, que é como quem diz a derreter as gorduras do Estado, que é como quem diz a exterminar as fundações, o alfa e o ómega da despesismo socialista do Estado, uma fundação boa, portanto, deve, portanto, 6 milhões e meio de euros ao Banif, que Pedro Passos Coelho, Paulo Portas e Maria Luís Albuquerque esconderam atrás de Carlos Costa, o apêndice que o governo da direita radical tem no Banco de Portugal, para não inviabilizar a saída limpa que só não o foi por culpa do Costa - o Banif escondido, mais os prejuízos da fundação Mário Soares, que recebeu contribuições do Sócras, por interposta pessoa o patrão, de quem o Costa foi ministro e até foi visitar à prisão quando esteve preso.


Razão tem Miguel Albuquerque, liberal e reformista do Estado e social-democrata [sempre!] da Madeira, escudeiro de Pedro Passos Coelho, que não são amigos de Alberto João Jardim que se foi sentar ao lado de Paulo Rangel naquele congresso dos "3 cães a um osso", quando diz que "em Portugal só quem vai preso é a arraia miúda".

 

 

 

 

Viver acima das possibilidades

por josé simões, em 02.06.16

 

shark.jpg

 

 

Apoio à banca custou 20 mil milhões de euros aos contribuintes


[Imagem]