Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Novilíngua

por josé simões, em 01.06.16

 

Thatcher.jpg

 

 

O "trabalhar até morrer", que por acaso morreu na Europa do pós II Guerra Mundial com o aparecimento do Estado social como resposta à atracção pelo modelo soviético, ressuscitou, por via da falência e pré-falência do Estado social na Europa pós Thatcher, pelas consecutivas cedências a modelos de sociedade onde imperam a desregulação e a desprotecção total – vulgo liberalismo, sempre em nome dos amanhãs que cantam na globalização das marcas e corporações, ao invés de ser a Europa a impor o seu modelo nas negociações que precederam a abertura de mercados e a circulação de bens e mercadorias, agora diz-se "envelhecimento activo". Quando se trata de ir ao bolso e ao bem-estar do cidadão lá vai o liberalismo do CDS pelo cano.


[A Europa abriu-se à foi para a China na mira de um mercado de não-sei-quantos milhões de consumidores e trouxe de volta uma usina com não-sei-quantos milhões de produtores].


[Imagem]

 

 

 

 

É sempre a descer

por josé simões, em 01.06.16

 

Danny-Kaye.jpg

 

 

Primeiro em tragédia, depois em comédia.


[Na imagem o sósia]

 

 

 

 

Medo da mediocridade

por josé simões, em 01.06.16

 

Pineapples on the run - Marc Johns.jpg

 

 

É assinalável o esforço que a direita radical faz para inventar um líder, idiota útil à direita, e que, num trabalho de formiguinha, ao mesmo tempo vá minando o Partido Socialista por dentro e a base de apoio da nova maioria parlamentar.


Até eu, que em matérias de partidos políticos e de lideranças partidárias sou muito prático, tenho medo. Medo destas nulidades ideológicas e intelectuais.


[Imagem]

 

 

 

 

Todo um programa condensado num lamento

por josé simões, em 01.06.16

 

Anna Eleanor Roosevelt.jpg

 

 

Fátima Roque, doutora, in "Pecados Capitais: a história da queda do Banif", Grande Reportagem, SIC, minuto 32:19.


Uma pessoa que chega a um determinado estatuto académico como eu cheguei sentir-se enganada dessa forma como se tivesse sido uma criança de 10 anos


Uma doutora [de Pretória, meu Deus!] em cima do pedestal de Peter onde se colocou. Ou, como diz o povo analfabeto em gerações de saber adquirido de chapadas na cara, murros no estômago e sofrimento no coiro, "presunção e água benta cada qual toma a que quer", "um burro carregado de livros é um doutor", "nas costas dos outros vês as tuas".


"Ninguém pode fazer com que te sintas inferior sem o teu consentimento". Anna Eleanor Roosevelt.