Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| De onde menos se espera sai um jacobino

por josé simões, em 17.05.16

 

will_govus.jpg

 

 

"Un Estado debe ser laico. Los Estados confesionales terminan mal. Esto va contra la Historia. Creo que una laicidad acompañada de una sólida ley que garantice la libertad religiosa ofrece un marco para avanzar"


El papa: "Un Estado debe ser laico"


[Imagem de Will Govus]

 

 

 

 

||| "O meu futuro, a minha reforma"

por josé simões, em 17.05.16

 

Tony-Ray-Jones--Butlin's Holiday Camp, Clacton-on-

 

 

"Como vai ser a minha reforma, qual o papel do Estado e, [debate inquinado logo à partida], que parte cabe aos privados?", que estão genuina e desinteressadamente preocupados com o meu futuro e com a minha reforma. O Expresso em parceria com a Eurovida, uma companhia de seguros, e um banco, o Popular. É tudo negócio e "liberdade para pensar". E fazer fé que, em caso de malabarices e trafulhices por parte de quem, geguinamente se preocupa com o meu futuro e a minha reforma, a parte que cabe ao Estado é assumir o prejuízo, depois da parte do meu futuro e da minha reforma que couber aos privados. A entrada é livre, apesar de haver quem jure a pés juntos que "não há almoços grátis".


[Imagem "Butlin's Holiday Camp, Clacton-on-Sea, 1966",

Tony Ray-Jones]

 

 

 

 

||| De uma maneira ou de outra, o designio terreno de Passos Coelho

por josé simões, em 17.05.16

 

UEC aurocolante.jpg

 

 

O Passos Coelho, 'maria-vai-com-as-outras', que andou convidado por congressos da UEC [União dos Estudantes Comunistas] fascinado com "a grande marcha" do "Avante com a Reforma Agrária!" e das "Nacionalizações e Controlo Operário!", uma "coisa muito grande que ia mudar o mundo" é o mesmo Passos Coelho, 'maria-vai-com-as-outras', doutrinado por Miguéis Morgados, Brunos Maçães e ilhas adjacentes, que acham que a revolução comunista do 25 de Abril foi uma espécie de "obstáculo epistemológico" ao glorioso liberalismo que sucederia à primavera marcelista, a evolução na continuidade ao saudoso velho de Santa Comba, austero, que disciplinou as finanças públicas e que não vivia acima das suas possibilidades. Deu-se o corte e tudo o resto foi socialismo – a melhoria das condições de vida das populações, alfabetização, serviço nacional de saúde, escolaridade e ensino superior, saneamento básico, mortalidade infantil, a democracia, muito mais que uma chatice é um entrave ao crescimento económico e ao livre empreendedorismo. Até 2011, ano em que o maria-vai-com-as-outras, que tem um desígnio a cumprir na passagem pela vida terrena, ungido pela troika, apareceu para reescrever o passado e corrigir os ventos da história, uma coisa muito grande que ia mudar o mundo a partir de Portugal, bruscamente interrompida em 2015, ano do regresso do comunismo, de volta aos tempos em que o 'maria-vai-com-as-outras' ia como convidado ao congresso da UEC, que já não existe, paz à sua alma, a paz que Passos Coelho não tem, de pin na lapela na perseguição ao seu desígnio terreno.


[Imagem]

 

 

 

 

||| A Voz do Povo

por josé simões, em 17.05.16

 

 

 

Ao balcão do café: "Qualquer dia o Estado, violando a Lei, desata a construir esquadras de polícia onde já há empregados da Securitas".

 

 

 

 

||| Da série "Grandes Primeiras Páginas"

por josé simões, em 17.05.16

 

i.jpg

 

 

 

A primeira página do jornal i