Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| Fukushima no go zone

por josé simões, em 25.03.16

 

1 Carlos Ayesta & Guillaume Bression.jpg

 

 

2 Carlos Ayesta & Guillaume Bression.jpg

 

 

3 Carlos Ayesta & Guillaume Bression.jpg

 

 

4 Carlos Ayesta & Guillaume Bression.jpg

 

 

5 Carlos Ayesta & Guillaume Bression.jpg

 

 

6 Carlos Ayesta, Guillaume Bression.jpg

 

 

7 Carlos Ayesta, Guillaume Bression.jpg

 

 

«Quand je parle, je pleure. Quand je vois mes photos, je pleure. Je n’ai plus de larmes à force de pleurer. Elles ont toutes séché. Là, vous me voyez en train de rire parce que je vais un peu mieux. Mais je ne peux pas rentrer chez moi, à cause de la radioactivité».


«I cry when I talk. I cry when I look at my photographs. I’ve cried so much I don’t have any tears left. They’ve all dried out. Now, you can see I’m smiling … that’s because I feel a bit better. But I can’t go home because of the radiation».

 

 

 

 

||| Frantic

por josé simões, em 25.03.16

 

 

 

O Palácio de Belém não é propriamente um reality show; O Presidente da República não é a personagem principal de uma ópera rock; o Presidente da República não governa; a Constituição da República Portuguesa não prevê a participação de convidados no Conselho de Estado - órgão consultivo de aconselhamento do Presidente no exercício das suas funções que não são a governação do país nem a regulação financeira da zona euro. Por muito jeito que dê a António Costa e à Geringonça ter um Presidente da República a dar rabecadas, em directo e a cores, ao primeiro-ministro no exílio, há que dar razão a Pedro Passos Coelho nas condições que fez constar na moção apresentada ao congresso para o apoio do PSD a um candidato presidencial.
Cata-vento errático, protagonista, em busca da popularidade fácil. Frantic Marcelo. Mais cedo ou mais tarde vai sobrar para o lado esquerdo.


"Marcelo Rebelo de Sousa convidou Mario Draghi para o primeiro Conselho de Estado do seu mandato, que se irá realizar a 7 de Abril."