Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| O indigente intelectual

por josé simões, em 09.03.16

 

aviso.JPG

 

 

O personagem que desclassificou e menorizou a figura do Presidente da República e desprestigiou a instituição Presidência ao optar por receber a pensão de reforma, por ser mais elevada, em detrimento da remuneração inerente ao cargo para o qual foi eleito – o de "Supremo Magistrado da Nação", como gostava de papaguear por tudo e por nada, vai, depois do adeus, acumular as duas.


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

||| Da ética

por josé simões, em 09.03.16

 

Moscow night.jpg

 

 

Na casa da democracia a sub-comissão de ética reune à porta fechada.


[Imagem]

 

 

 

 

||| In Memoriam

por josé simões, em 09.03.16

 

Naná Vasconcelos.jpg

 

 

Naná Vasconcelos


1944 – 2016

 

 

 

 

||| Agora imaginem

por josé simões, em 09.03.16

 

Cavaco.jpg

 

 

Agora imaginem o que tinha sido do país, e dos portugueses, com Mário Soares ou Jorge Sampaio, ou até mesmo Manuel Alegre, como presidentes da República naquele longínquo ano de 2013, com um resgate a meio e uma 7.ª avaliação da troika a roçar o chumbo, a demissão de Gaspar e a irrevogabilidade de Paulo Portas, imaginem. É o argumento laudatório da direita ao estadismo patrioteiro de Cavaco Silva, do "superior interesse nacional", para o tentar reabilitar do rating "abaixo de cão" onde os portugueses o colocaram. Pois bem, imaginemos.


Agora imaginem se fossem Mário Soares ou Jorge Sampaio, ou até mesmo Manuel Alegre, a colocar o país em alvoroço com uma interrupção de férias a propósito do Estatuto dos Açores.


Agora imaginem se fossem Mário Soares ou Jorge Sampaio, ou até mesmo Manuel Alegre, a segurar o amigo, e empresário de sucesso, Dias Loureiro no Conselho de Estado depois de todas as evidências do caso BPN.


Agora imaginem se fossem Mário Soares ou Jorge Sampaio, ou até mesmo Manuel Alegre, na varanda do Centro Cultural de Belém com um discurso vingativo e de ódio na noite da vitória eleitoral.


Agora imaginem se fossem Mário Soares ou Jorge Sampaio, ou até mesmo Manuel Alegre, na República Checa, calados, a ouvir o discurso de Vaclav Klaus.


Agora imaginem se fossem Mário Soares ou Jorge Sampaio, ou até mesmo Manuel Alegre, com mais-valias por convite numa sociedade não cotada em bolsa, e permutas de casas com as escrituras inexplicavelmente desaparecidas.

 

Agora imaginem se fossem Mário Soares ou Jorge Sampaio, ou até mesmo Manuel Alegre, na rua, a lamentarem-se a uma reformada da pensão mínima, que o dinheiro que recebiam não lhes dava para as despesas e, só a muito custo, para "sustentar" também a mulher.


Agora imaginem se fossem Mário Soares ou Jorge Sampaio, ou até mesmo Manuel Alegre, nas televisões, pela casa adentro na hora de jantar, com uma conspiração de escutas ao Palácio de Belém e violação da conta de e-mail urdida por anónimos.


Agora imaginem se fossem Mário Soares ou Jorge Sampaio, ou até mesmo Manuel Alegre, a proclamar que há um limite aos sacrifícios que se podem pedir aos portugueses, com um Governo PSD, e a fazer a apologia da austeridade, com um Governo PS, enquanto desprezava a "arma" Tribunal Constitucional.

 

Agora imaginem se fossem Mário Soares ou Jorge Sampaio, ou até mesmo Manuel Alegre, a optar pela pensão de reforma em vez da remuneração inerente ao cargo de Presidente da República.


Agora imaginem os editoriais na imprensa do pensamento único. Imaginem.

 

 

 

||| In Memoriam

por josé simões, em 09.03.16

 

george martin.png

 

 

George Martin


1926 – 2016

 

 

 

 

||| Celebremos

por josé simões, em 09.03.16

 

 

 

E quando lá chegares manda saudades que é coisa que cá não deixas.