Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| Mudança de paradigma

por josé simões, em 25.02.16

 

Rui Machete.jpg

 

 

O ministro dos negócios Estrangeiros não apresentou um pedido público de desculpas...


[Imagem]

 

 

 

 

||| PAF TREK. Episódio 1 - O Plano Juncker

por josé simões, em 24.02.16

 

 

 

[Via]

 

 

 

 

||| Continua sem perceber nada do que aconteceu

por josé simões, em 24.02.16

 

think.jpg

 

 

Eu sou muito patriota, muito muito muito, e muito respeitador, muito muito muito, e não recebo lições de ninguém, de ninguém de ninguém de ninguém, nem com um desenho, apesar de 5 – cinco – 5 meses depois das eleições continuar sem perceber o que aconteceu no dia 4 de Outubro do Ano da Graça de 2015. E, como não percebo, não percebo não percebo não percebo, apareço muito aflito, muito aflito muito aflito muito aflito, a dar a notícia em primeiríssima mão em Bruxelas, que eles não sabiam e as novas levam tempo a chegar, que o Governo português é apoiado por duas forças da esquerda radical, uma delas claramente anti-europeia – o PCP, e a outra – o Bloco, com concepções económicas incompatíveis com a economia social de mercado que está na base da União Europeia tal como a conhecemos, ao invés de me dedicar a estudar o sistema parlamentar constitucional português e tentar perceber porque é que o povo – os eleitores, os cidadãos, as pessoas anónimas, os que não escrevem nos jornais nem são pagos para dar bitaites em programas de televisão, depois de 4 – quatro – 4 anos Governo do meu partido, PSD – europeísta convicto, em coligação com um partido com concepções compatíveis com a economia de mercado – o CDS, sob a batuta da Europa do Partido Popular Europeu a que pertenço, decidiram com o seu voto, em eleições livres e democráticas, "engordar" as bancadas parlamentares dessas duas forças políticas, "anti-europeias" e "anti-economia social de mercado", se bem que nem eu saiba o que é que o "social" ali faz, mas que fica bem a enfeitar, fica, e ainda soa melhor quando dito. Esta é a versão bondosa que se espalha ao comprido na própria semântica e argumentação, já que continuo sem respeito nenhum, nenhum nenhum nenhum, pelo país, nem pelos cidadãos nem por quem, com o seu voto, decidiram colocar à frente do destino do país. Ai custa, custa, Dr. Rangel!


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

||| Da série "Grandes Primeiras Páginas"

por josé simões, em 24.02.16

 

A capa da The New Yorker.jpg

 

 

A capa da The New Yorker

 

 

 

 

||| Hoje há caracóis

por josé simões, em 23.02.16

 

há caracóis.jpg

 

 

Ver Miguel Morgado, um dos ideólogos do "social-democrata, sempre!" Pedro Passos Coelho, no debate parlamentar ao Orçamento do Estado para 2016, "muito bem! muito bem!", sentado ao lado de Marco António, de Gaia, diz muito da espinha dorsal dos nossos liberais de pacotilha.


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

||| O Islão moderado

por josé simões, em 23.02.16

 

irão.jpg

 

 

Agora que o Irão, sem sair do mesmo sítio, é o islão moderado e está de volta ao convívio das nações civilizadas e envia o representante dos ayatollahs em tournée pelo mundo civilizado, aka Europa, com malas cheias de dinheiro barato e poços de petróleo em velocidade de cruzeiro:


«Quem assassinar o autor de Versículos Satânicos recebe uma recompensa suplementar de mais de 500 mil euros oferecida por meios de comunicação social ligados ao regime de Teerão.»


A Terra gira e o Islão gira com ela.


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

 

||| Da indigência

por josé simões, em 22.02.16

 

Hugo Soares Parlamento Orçamento do Estado 2016.jpg

 

 

Enquanto Hugo Soares, o deputado do PSD cujos únicos contributos conhecidos para a democracia são o ter feito de his master’s voice com um referendo à co-adopção nos intervalos de passar manhãs e tardes no Parlamento a mandar bocas à oposição e a dizer "muito bem!" quando os seus correligionários discursam, gozava à descarada com o deputado do PAN, André Silva, demonstrando uma total falta de respeito e de educação, que se adquire em casa e não com o exame da 4.ª classe, o "primeiro-ministro no exílio", Pedro Passos Coelho, acompanhado de grande burburinho nas bancadas PàFiosas, abandonava o hemiciclo durante a intervenção do primeiro-ministro de facto, aparentemente em protesto por António Costa ter usado o termo "mavioso" para adjectivar Paulo Portas.


[A imagem é minha]

 

 

 

 

||| The million dollar question

por josé simões, em 22.02.16

 

samsung.jpg

 

 

"Que orçamento estaríamos a discutir se o povo com o seu voto não tivesse decidido a alteração da composição da Assembleia da República?"


[Imagem]

 

 

 

 

||| Ver televisão é dar emprego

por josé simões, em 22.02.16

 

August 1963. My nephew Jimmy watching a cartoon on TV in South Gate, California.jpg

 

 

O país onde Pedro Passos Coelho, o líder do maior partido da oposição, ou o "primeiro-ministro no exílio", como preferirem, passa mais tempo nas televisões que António Costa, o primeiro-ministro de facto, e até mesmo do que quando era primeiro-ministro do Governo da coligação de direita, chegando a televisão generalista do militante n.º 1 a fazer aberturas de telejornal com 3 minutos de declarações do senhor, intercaladas por traduções e interpretações em voz-off às declarações. A preparação da opinião pública e do eleitorado é um trabalho nunca acabado.


[Imagem]

 

 

 

 

||| Gabba Gabba Hey

por josé simões, em 21.02.16

 

gabba gabba hey.jpg

 

 

Vou juntando memórias e recortes daquilo que foi o meu imaginário "juvenil", que era a termo que se usava até os amaricanos terem globalizado o "teen", e que fizeram de mim muito daquilo que sou hoje. É um Pinterest, é meu. Gabba Gabba Hey.

 

 

 

 

||| Fim-de-semana

por josé simões, em 21.02.16

 

models.jpg

 

 

Este fim-de-semana foi assim.


Freeze ~ The Models


[7" vinyl]

 

 

 

 

||| Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 20.02.16

 

ventríloco.png

 

 

Duarte Marques, da bancada parlamentar de suporte ao Governo que entregou a pasta do ambiente à agricultura da eucaliptização por cima da biodiversidade, do ordenamento do território e da Reserva Agrícola Nacional "isso depois logo sé vê"; Duarte Marques, da bancada parlamentar de suporte ao Governo que entregou a pasta do ambiente à economia da celulose e da pasta de papel, em nome da recuperação, do crescimento económico e da criação de emprego – directo e indirecto, propagandeado primeiro, nunca contabilizado e confirmado depois; Duarte Marques, da bancada parlamentar de suporte ao Governo que bloqueou todas as acções inspectivas ambientais em nome da racionalização de custos e meios e de cortar fatias de gordura ao Estado – o celebérrimo fazer mais com menos; Duarte Marques, na bancada parlamentar da oposição preocupado com a poluição no rio Tejo provocada por uma fábrica de pasta de papel.


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

||| In Memoriam

por josé simões, em 20.02.16

 

Samuel Willenberg.jpg

 

 

Samuel Willenberg


1923 – 2016


[Imagem]

 

 

 

 

||| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 20.02.16

 

Glenn Frosty Little  Ringling Brothers Barnum Bailey circus.jpg

 

 

«Passos acusa PS de “ajoelhar” perante a Europa»


[Na imagem Glenn "Frosty" Little/ Ringling Brothers Barnum Bailey circus]

 

 

 

 

||| In Memoriam

por josé simões, em 20.02.16

 

Umberto Eco.png

 

 

Umberto Eco


1932 – 2016