Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| "Mais vale cair em graça do que ser engraçado"

por josé simões, em 28.01.16

 

cabeleireiro.jpg

 

 

Mais vale cair em graça do que ser engraçado e Jerónimo de Sousa, que tem por imagem de marca o recorrer a provérbios e ditos populares "por dá cá aquela palha", devia ter este à cabeceira e perceber, ainda que habitando outra dimensão, os limites do engraçadismo para não ter de levar "nas entrelinhas" e com retroactivos.


Catarina Martins em entrevista à SIC Notícias "Acho que Edgar Silva fez uma boa campanha [...] mobilizou o eleitorado do Partido Comunista Português" [182 906 votos, 3, 95%].


Ainda em modo Jerónimo de Sousa, "toma e embrulha". E ficamos por aqui porque já tens, Jerónimo, idade suficiente para ser do tempo das "companheiras", figuras secundárias e obedientes, de apoio ao camarada militante nas casas clandestinas. Um bom chefe de família. Macho man.


[Imagem "cabeleireiro na URSS"]

 

 

 

 

||| Quatro anos de miséria depois

por josé simões, em 28.01.16

 

balão.jpg

 

 

Quatro anos passados de Governo PSD/ CDS a cortar em salários e pensões e nas funções sociais do Estado, quatro anos de encerramentos e falências de empresas, de despedimentos e desemprego e emigração, quatro anos depois de Carlos Moedas ter jurado a pés juntos que 'os-juros-vão-baixar-e-o-rating-da-Nação-vai-subir-quando-o-PSD-chegar-ao-Governo' vem a Fitch dizer que "só melhora rating quando vir empenho de Portugal". Quatro anos perdidos a marcar passo na miséria.


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

||| ... e a realidaaade!

por josé simões, em 28.01.16

 

tijoloburro.gif

 

 

"Um inquérito oficial à crise bancária na Irlanda entre 2008 e 2010, divulgado esta quarta-feira, apurou que o Banco Central Europeu (BCE) permitiu que os contribuintes suportassem uma parte "inapropriada" do seu custo."


"BCE desviou peso da crise na banca da Irlanda dos credores para os contribuintes"