Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| O défice como mecanismo de controlo social

por josé simões, em 05.09.14

 

 

 

[Ler mais]

 

 

 

 

 

||| De "esquerda" mas sem espinha dorsal

por josé simões, em 05.09.14

 

 

 

«havia quem defendesse a vantagem de incluir no conselho de administração alguém ligado à resistência ao antigo regime, de esquerda, e que não fosse profissional da atividade política».

 

Admiradores de calçada de todos os países e administradores não-executivos de bancos intercencionados, uni-vos!

 

[Na imagem Portuguese Man-of-War by Aaron Ansarov]

 

 

 

 

 

 

||| O Banco de Portugal é o novo "tinha cunha na Câmara"

por josé simões, em 04.09.14

 

 

 

Depois do caso Mário Centeno, depois do affair Luís Durão Barroso, Hélder Rosalino e António Carlos Varela vão entrar na administração do Banco de Portugal.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

 

||| Espírito Santo de orelha

por josé simões, em 04.09.14

 

 

 

"Queres saber uma?". Ou "Conto-te uma se me prometeres que não dizes nada a ninguém...".

 

Começa assim, Portugal, século XXI,  o novo pelourinho, inaugurado com o acesso à informação sobre a identificação criminal de pessoas condenadas por crimes sexuais contra menores por quem exerça responsabilidades parentais sobre menores de 16 anos. Se não aparecer pespegado no Facebook, com foto e tudo. Ou se não for um qualquer, inocente e alheio a tudo, por vingança. "Como é que sabes?", "Sou pai/ mãe, não sou? Tive acesso ao cadastro". Já vi este filme. "Agarra que é da PIDE!".

 

Porque não também o acesso ao cadastro de condenados por tráfico de droga  ou por assaltos violentos ou por violência de género ou por desfalques a bancos ou políticos que disseram uma coisa e depois fizeram outra? A prioridade não é a segurança das pessoas? E umas milícias de bairro, com patrulhas e com horários de serviço e escalas e tudo.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| [Um] O insecto

por josé simões, em 03.09.14

 

 

 

E agora, que já lá está,  e que vai ter tudo aquilo que desejou, um PA p' ras vozes e uma Fender, Carlos Moedas vai agarrar na pasta do Emprego e dos Assuntos Sociais e mandar os europeus emigrar? Tipo, "Angola, mas não só Angola, o Brasil também, tem uma grande necessidade ao nível de mão de obra qualificada", "se estamos no desemprego, temos de sair da zona de conforto e ir para além das nossas fronteiras", "quem entende que tem condições para encontrar [oportunidades] fora do seu país [e da Europa], num prazo mais ou menos curto, sempre com a perspectiva de poder voltar, mas que pode fortalecer a sua formação, pode conhecer outras realidades culturais, [isso] é extraordinariamente positivo". Fazer pela vidinha, calaceiros, manhosos, malandros ma viver à custa de subsídios, "perguntei-lhe: Qual é a tua ò meu ?".

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| Eu é mais jogar no Euromilhões

por josé simões, em 03.09.14

 

 

 

Eu apostas é mais jogos da Santa Casa, tipo Euromilhões. Peço uns números "da máquina", aposta mínima, e prontes. «ontem apostava com um colega que a segunda execução seria ou de uma mulher ou uma execução cometida por uma mulher».

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

Um Governo de mentirosos compulsivos

por josé simões, em 03.09.14

 

 
 

 

 

Primeiro o desemprego não era tido nem achado para a encomenda do sermão, se calhar porque as pessoas mesmo desempregadas continuavam a apanhar o transporte público todos os dias na mesma paragem e a fazer o trajecto até ao posto de trabalho que já não existe, [hábitos das pessoas, o que é que se há-de fazer?],  mas era antes porque a fraude tinha aumentado exponencialmente, uma coisa nunca vista, [os malandros e vigaristas todos à pendura todos os dias da mesma paragem para o posto de trabalho que ainda existia. Agora, se calhar, iam a pé ou de bicicleta...] apesar da nova bilhética introduzida e dos novos títulos de transporte desmentirem na prática a teoria da fraude inaudita.

 

Agora parece que a «pouco e pouco, os transportes públicos começam a travar a fuga em massa de passageiros», por motivos curiosos: menos dias de greve [como se no dia da greve o dinheiro dos passes mensais já não tivesse entrado na tesouraria da empresa] e pela diminuição do... desemprego. Mas espera lá, como o desemprego não contribuía para a diminuição do número de utentes dos transportes públicos também o emprego não pode agora contribuir para o aumento do número de passageiros. E então o que se passa é que o Governo ameaçou pôr o fisco a cobrar as multas e os borlistas e vigaristas, e outros terminados em istas, só de ouvir tremeram e pensaram duas vezes antes de entrar no autocarro ou no metro, apesar da ideia nunca ter saído do papel.

 

Um Governo de mentirosos compulsivos é o que isto é.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 02.09.14

 

 

 

«O ministro adjunto e do Desenvolvimento Regional afirma que o Governo tem concentrado os cortes nos gastos intermédios e não em salários e pensões.»

 

«Ministro diz que Governo é campeão das preocupações sociais na Europa»

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| Palavras-chave

por josé simões, em 02.09.14

 

 

||| T. P. C. : Definir "mobilidade geográfica"

por josé simões, em 02.09.14

 

 

 

Partindo da revolução cultural que foi a sedentarização, permitida pelo adquirir de técnicas agrícolas e pecuárias, e da sua crucial importância na evolução da espécie humana e na organização política, social e económica das sociedades modernas, a partir do surgimento de agregados populacionais – aldeias, vilas e cidades.

 

«IRS: Daniel Bessa destaca apoios a famílias com filhos, à poupança e à mobilidade geográfica»

 

Confesso que fico com "pele de galinha" quando ouço estes gordos anafados, de sedentários, habituados que estão a pôr e dispôr sobre vidas alheias, falar em "mobilidade geográfica" como uma das panaceias para os males da sociedade, como se os de Setúbal, por exemplo, fossem alegremente cantando e rindo para Braga, por exemplo também, ocupar postos de trabalho que em Braga não há para os bracarenses, ou vice-versa. A menos que seja a "mobilidade geográfica" do pai da "mobilidade geográfica" moderna – Estaline, desenraizar para subjugar e reinar. Desta gentinha já espero tudo.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| Viró disco e tocó mesmo

por josé simões, em 01.09.14

 

 

 

Não sei o que é mais preocupante, se o Partido Socialista dizer que vai reabrir tribunais quando for Governo, se pessoas que acreditam piamente que o Partido Socialista vai reabrir tribunais quando for Governo.

 

40 anos depois do 25 de Abril continuamos na mesma, com a oposição do boca para fora, dizer qualquer coisa só porque tem de se dizer qualquer coisa, sobretudo se puder render votos nas urnas.

 

 

 

 

 

 

||| Quando a regra confirma a excepção

por josé simões, em 01.09.14

 

 

 

Um dia ainda vamos saber dos contornos e das "ligações perigosas" à roda do erário público disto:

 

«perante o "clima de constante suspeição" em que o país tinha mergulhado, seria ponderado consultar determinados concorrentes, afastando outros. O concurso público "é uma das últimas fortalezas na defesa da transparência exigível aos contratos"»

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| Fica para um próximo prefácio

por josé simões, em 01.09.14

 

 

||| E no fim ganha a Marina, Le Pen

por josé simões, em 01.09.14

 

 

||| 1 de Setembro de 1939 – 1 de Setembro de 2014

por josé simões, em 01.09.14

 

 

 

 

 

 

 

Pág. 7/7