Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

|| A Angústia do Guarda-Redes Antes do Penalty

por josé simões, em 27.06.12

 

 

 

Upgrade: A Angústia do Deputado Antes da Entrevista

 

Haviam de ter uma imprensa hard-core como a britânica, que descasca a vida pública, e familiar até à 5.ª geração, incluindo todas as variantes da árvore genealógica, nas primeiras páginas dos jornais, com fotografias e tudo. Mas isto já sou eu a pensar alto

 

«As suas percepções de movimentos e de coisas não lhe lembravam outros movimentos e outras coisas mas sensações e sentimentos: e não se lembrava dessas sensações e desses sentimentos como uma coisa passada, antes os vivia de novo, como se se tratasse de algo presente: não se lembrava de vergonha ou de repugnância, mas envergonhava-se e sentia repugnância agora que se lembrara sem ser capaz de recordar as coisas que lhe causaram vergonha e repugnância. A mistura de repugnância e de vergonha era tão forte que todo o seu corpo começou a tremer.»

 

Peter Handke, "A Angústia do Guarda-Redes Antes do Penalty".

 

 

 

 

 

|| Que compre uma Silampos

por josé simões, em 27.06.12

 

 

 

Pressão é começar a fazer contas de subtrair logo a partir do dia 15 de cada mês; pressão é aguentar tudo e mais alguma coisa ao patrão, perdão, ao empresário, porque se tem lá em casa 2 filhos para alimentar e educar; pressão é ir de férias sem subsídio e na volta encontrar a fábrica fechada porque sim. Querem falar sobre pressão?

 

«Ricardo Rodrigues é um grande deputado que teve um acto irreflectido sob pressão e saberá tirar disso as consequências com elevação.», Carlos Zorrinho dixit.

 

 

 

 

 

 

|| Conversa de ir ao bolso do contribuinte

por josé simões, em 26.06.12

 

 

 

Se acaso a Câmara de Lisboa fosse de administração PSD era Vasco Graça Moura quem embolsava os 19 mil euros. A bem da cultura. Da vida cultural. Da capital. Do país. Da indústria cultural. Geradora de milhões de € € € de retornos. Que é um argumento imbatível. Life goes on.

 

[Imagem "3 MIRRORS" by Pawel Przewlocki]

 

 

 

 

 

 

 

|| O estado da Nação

por josé simões, em 26.06.12

 

 

 

E como vai agora começar a espiral dos recursos, continua sentado no Parlamento, deputado eleito da Nação, membro do Conselho Geral do Centro de Estudos Judiciários e da Comissão Parlamentar para a Ética, a Cidadania e a Comunicação.

 

Parafraseando, "Puto, a vergonha é uma coisa que a mim não me assiste. Sai da frente, Guedes!"

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Da série "Grandes Primeiras Páginas"

por josé simões, em 26.06.12

 

 

 

A capa da New Republic:

"Something's Rotten, the last days of Britain"

 

 

 

 

 

 

|| Notícias do Estado ex-agência de colocação de emprego

por josé simões, em 26.06.12

 

 

 

«[…] beneficiando de condições para a reforma antecipada mais favoráveis e, […], por recusa das políticas da ex-ministra […] reformaram-se mais de cinco mil docentes do ensino básico e secundário»

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| "E venceram"

por josé simões, em 26.06.12

 

 

 

Escreve na André Biss, na dedicatória que antecede as quase 400 páginas do livro onde relata os dias das negociações entre a Waada, Adolf Eichmann, e um Himmler já a tentar salvar a pele e a abandonar o barco nazi, e que levaram ao salvamento da solução final de um milhão de judeus do Ghetto de Budapeste:

 

«Aos meus amigos Otto Komoly, Rezso Kastner e Szulem Offenbach, a todos os heróis da Comissão de Assistência Judaica de Budapeste, mortos em combate.

A despeito da indiferença daqueles que viviam ao abrigo do perigo, a despeito da traição que dizimava suas fileiras, a despeito da ameaça que, do exterior, pesava de contínuo sobre eles, tiveram a audácia de lutar para salvamento dos últimos sobreviventes do seu povo votado ao aniquilamento completo. E venceram. A história fará justiça à sua vitória e a gravará para sempre na memória das gerações vindouras.»

 

A história está, por ora, suspensa na Hungria.

 

 

 

 

 

 

|| O prestidigitador

por josé simões, em 25.06.12

 

 

 

A páginas tantas, e mais ponto menos virgula, diz Pedro Passos Coelho que "o povo soberano" nunca escolheu o programa eleitoral do PCP. O problema, para o "povo soberano" claro está, é que pensou escolher o programa eleitoral do PSD por umas coisas que foi ouvindo durante a campanha eleitoral, amplificadas por uma massiva máquina de propaganda, mas também não escolheu o programa deste Governo.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Der Fuehrer, por interposta pessoa

por josé simões, em 25.06.12

 

 

|| Allāhu Akbar mas o homem ainda é maior

por josé simões, em 25.06.12

 

 

 

Escreve hoje o Diário de Notícias em editorial, e a propósito da vitória do candidato da Irmandade Muçulmana nas presidenciais egípcias, algo que há já muito venho a escrever aqui no blog, que «A popularidade da Irmandade está ligada a anos de trabalho social da confraria, que era muitas vezes a única fonte de serviços médicos ou educativos nos bairros miseráveis das grandes cidades.».

 

O Egipto não tem Estado Social, nem de modelo europeu nem de modelo coisa nenhuma, tem a Irmandade e as confrarias. Por cá, e a propósito de que não há dinheiro para nada, desmantela-se o pouco Estado Social que havia e entrega-se às confrarias vaticanas, baptizadas Misericórdias e IPSS. Como as mulheres não são obrigadas a andar de serrapilheira na cabeça nem ninguém é morto à pedrada, encolhem os ombros os que podem e quem precisa não olha a quem dá. Vamos acabar por pagar ainda mais caro do que o não há dinheiro para nada este retrocesso civilizacional.

 

[Na imagem "Women of Allah" by Shirin Neshat]

 

 

 

 

 

 

|| Manor Farm

por josé simões, em 24.06.12

 

Uma pessoa vê os frente-a-frente no telejornal do Mário Crespo na SIC Notícias e, quando calha ser o turno de José Luís Arnaut, uma pessoa pergunta quem é que no seu perfeito juízo vota num partido que tem nas suas listas um personagem daquele calibre, tal é o poder raciocínio, tal é a capacidade argumentativa, a coerência ideológica, a cultura política, para já não falar na cultura geral.

 

Uma pessoa vê depois José Luís Arnaut ser recompensado, tratar da vidinha, e tratar de ser um ponta de lança de um partido, do arco governativo e com sentido de Estado e assim, numa empresa estratégica nacional, privatizada a bem da Nação,  e já não pergunta nada.

 

By the way, o PS faria bem melhor em ficar caladinho.

 

[Imagem "What goes/comes" by Mark Ward]

 

 

 

 

 

 

|| Fim-de-semana

por josé simões, em 24.06.12

 

 

 

Este fim-de-semana foi assim.

 

Eyes Without A Face - Billy Idol

 

[7” vinyl]

 

 

 

 

 

 

|| Trágico-marítima

por josé simões, em 24.06.12

 

 

 

Pena é que o Presidente da República homem do leme seja uma figura desacreditada e sem credibilidade política, no porão onde se enfiou isolado da marinhagem. Num futuro não muito distante um Bernardo Gomes de Brito há-de escrever o Tomo III da História Trágico-Marítima.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| E conseguem dizer estas coisas sem se rirem

por josé simões, em 23.06.12

 

 

|| Regiões-limite indeterminadas

por josé simões, em 23.06.12

 

 

 

Limes, militärgrenze, krajina, zonas de povoamento indeterminadas, herdadas de impérios, e quase nunca, ou quase sempre conforme o ponto de vista, precisas topograficamente, mas delimitadas política e culturalmente. No fundo é isto, mais de 2 000 anos de História a olharmos uns para os outros e sem sairmos do mesmo sítio. Qual integração económica, qual integração política, qual carapuça! Integração cultural. Nada feito.

 

[Imagem]