Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Declarações bombistas e declarações bombásticas

por josé simões, em 19.06.07

 Confesso que esperei até hoje para escrever sobre o tema. Esperei para ler a crónica de Miguel Sousa Tavares n’A Bola. E também confesso que até nem me surpreendi com o resultado da espera. Miguel Sousa Tavares aborda o tema, mas ignora o assunto. Refiro-me à entrevista dada ontem por Pinto da Costa ao Público. O presidente do FC Porto que, desde que os apitos ganharam cor perdeu o mítico sentido de humor, diz a páginas tantas na entrevista: “Há uma perseguição ao FC Porto e ao Norte em geral.” Pinto da Costa que ao longo dos anos nos foi habituando, que quando abre a boca não dá ponto sem nó, faz uma acusação gravíssima para passar em claro. E Miguel Sousa Tavares não deu por nada. Ou leu e fingiu que não leu o que tinha lido… Tão lesto e perspicaz de raciocínio em assuntos que vão desde os aeroportos ao sistema de ensino em Portugal, pela melhor altura do ano para plantar batatas, passando pelos atentados ao património ambiental, e qual o melhor anzol para a pesca ao achigã; com honras de página inteira no Expresso, qual candidato à sucessão de Marcelo Rebelo de Sousa; nem um paragrafo! Nem uma linhazinha…

Vivemos num Estado de Direito, e sugerir que a justiça persegue alguém só por ser o presidente que ousou transformar um clube de “aldeia”, numa potência do futebol nacional e internacional, é grave. Sugerir que a justiça persegue alguém só por ser natural de determinada região do país, não é grave, é gravíssimo. Sermos um país civilizado, é o que vai valendo. Noutras zonas do globo, com acções terroristas deste teor – é assim que devem ser classificadas as declarações de Pinto da Costa –, as coisas descambavam para outro nível de violência. O leitor que faça um exercício de memória sobre o que foi inventar guerras entre regiões; nem é preciso sair da Europa. Estas declarações sim, à atenção de Maria José Morgado. Espero não terem passado “despercebidas” como passaram a Sousa Tavares.

  Não consigo entender a indignação da “nação benfiquista” com as recentes declarações de Joe Berardo. Está bem que o homem sentado em cima dos seus milhões de euros é um desbocado. Mas com uma só frase pôs o dedo na ferida que consome o Benfica de há muitos anos a esta parte. O Benfica vive agarrado ao passado e às velhas glórias. E passados de grandeza histórica não ganham batalhas, para o caso, campeonatos. Se assim fosse Portugal era uma das nações mais poderosas do planeta. Tem razão Berardo. “Rui Costa devia seguir o exemplo de Vítor Baía.” Ficava-lhe bem, ficava bem ao Benfica, e era bom para os que estão e para os que hão-de vir.