Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

|| Protecção social

por josé simões, em 10.06.10

 

A ETA em Espanha e as FARC na Colômbia cobram o “imposto revolucionário”. Já a Máfia e a Camorra italianas cobram, não um “imposto revolucionário”, mas uma “taxa” de protecção, e neste ponto são muito mais honestos na terminologia usada para definir “extorsão” que os “revolucionários” da “libertação nacional”, porque é de protecção que se trata: quem não paga tem o destino traçado...

 

Os boys with jobs, uma velha-nova categoria de sansegusas que também nos traça o destino, também nos cobra as suas taxas; a Oeste nada de novo. E estão isentos do esforço comum; nada de novo também.