Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Como diria a direita radical

por josé simões, em 18.03.17

 

bailerina 4.jpg

 

 

Como diria a direita radical - PSD/ CDS, se fosse no privado tinha sido despedida sem apelo nem agravo:

 

Teresa Leal Coelho falhou 91 reuniões como vereadora em Lisboa

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

"Mandou-me procurar? Passe, Cidadão!"

por josé simões, em 04.01.17

 

Gina Costa.jpg

 

 

107 anos de República, no Parlamento português:


Queria perguntar ao senhor doutor.

Tem a palavra para responder o senhor doutor.


[ImagemTítulo do post]

 

 

 

 

||| Circo PSD

por josé simões, em 05.04.16

 

vintage+circus+acrobats.png

 

 

Primeiro o aviso de que nem todo o Panama Paper é Panama Paper resultante de esquemas fora-da-lei e de lavagens mas também de esquemas juridicamente perfeitamente legais e de lavagens, que a moralidade não é para aqui chamada.


Depois rios de caracteres, escritos nos jornais do economês e nas redes e na bloga, que está de regresso depois de 4 anos de interregno, pelos ideólogos liberais do “social-democrata, sempre!”, o primeiro-ministro no exílio Pedro Passos Coelho, pedagogicamente a ensinar ao pagode ignaro que planear fiscalmente a fuga ao pagamento de impostos, altos, é uma coisa bué louvável, compreensível e aceitável face ao Estado ladrão, e que a fuga aos impostos, baixos, também, que o Estado, ladrão, só atrapalha o direito do mais forte à liberdade no capitalismo que se quer selva.


Por fim os his master's voice vêm insinuar que os Panama Papers são todos Panama Papers e que todos os esquemas e lavagens são esquemas e lavagens e que o Estado está a ser ludibriado e a perder dinheiro a olhos vistos, dinheiro que faz falta ao Estado e às suas funções sociais, para corrigir desequilíbrios e atenuar desigualdades e que o capitalismo tem de ter um rosto humano e não pode ser tudo uma selva do vale tudo. Fazer barulho, muito barulho, que enquanto se faz barulho faz-se prova de vida e até os mais distraídos ficam a pensar que há aqui interesses obscuros da "Geringonça" em que estas coisas não se saibam, que não se saiba quem são os meliantes que andam pelo Panamá a viver acima das nossas possibilidades.


Se isto não é um circo...


[Imagem]

 

 

 

 

||| A mentira como modo de vida

por josé simões, em 20.05.15

 

Sem título.jpg

 

 

"A pior coisa que há na vida é desmentir a realidade, a senhora deputada não tem razão nenhuma"


[Imagem minha]

 

 

 

 

||| Um partido de gente séria

por josé simões, em 09.03.15

 

passos caloteiro.jpg

 

 

Depois de Pedro Passos Coelho a reclamar o pedigree dos que pagam o que devem e a discorrer sobre a [in]sustentabilidade da Segurança Social, por via dos impostos pagos/ cobrados, Teresa Leal Coelho, uma indefectível de Vale e Azevedo na direcção do SL Benfica, no Parlamento preocupada com o enriquecimento ilícito, agora que uma chico-espertice foi encontrada para que a inversão do ónus da prova não seja a inversão do ónus da prova. O menos mal que nos pode acontecer ainda é ver um destes dias Duarte Marques a perorar sobre o ensino da língua portuguesa nas escolas.


[Imagem]

 

 

 

 

||| Jerónimo de Sousa/ Passos Coelho, a mesma luta?

por josé simões, em 29.12.14

 

teclado.jpg

 

 

Aquilo que em Jerónimo de Sousa é genuíno, quer pela origem de classe, quer pela baixa escolaridade e consequente pobreza semântica, e que em Passos Coelho, mais pontapé menos pontapé na gramática, podia ser "um burro carregado de livros é um doutor" é afinal uma "bengala linguística" que tem em Jerónimo de Sousa termo de comparação. Sancionado pelos outros, doutores e doutoras do partido, com mais ou menos livros no carrego.


[Imagem]

 

 

 

 

||| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 10.06.14

 

 

||| Hierarquia de valores

por josé simões, em 13.05.14

 

 

 

«Teresa Leal Coelho, vice-presidente e deputada do PSD, entende que Paulo Mota Pinto tem no curriculum a «mancha» de ter sido juiz do Tribunal Constitucional. Teresa Leal Coelho, que acompanhou Vale Azevedo na Direcção do Benfica como vice-presidente, não tem manchas no curriculum.»

 

Esta gentinha que nos governa.

 

 

 

 

 

 

||| Universo polítiko

por josé simões, em 11.05.14

 

 

 

Sou capaz de jurar que vi Marcelo de Rebelo de Sousa na televisão, na Universidade [cof… cof…] Política [cof… cof…] dos jotas SD de Lisboa, a dizer piadolas com a voz a fugir-lhe para o esganiçado, ao lado da senhora do lenço, que defendeu Vale e Azevedo no Benfica com a mesma convicção com que defende Passos Coelho no país.

 

Diz que quer ser Presidente da República. Podia ser o Nilton ou o Herman José, da "fase terminal", que o resultado era o mesmo.

 

[Imagem "Saltimbancos, Setúbal, Portugal, 1954" do insigne fotógrafo setubalense Américo Ribeiro]

 

 

 

 

 

 

||| Há aqui qualquer coisa que me escapa

por josé simões, em 18.01.14

 

 

 

Teresa Leal Coelho demitiu-se da direcção da bancada parlamentar do PSD, e faltou à votação que aprovou o referendo à co-adopção, por discordar da disciplina de voto imposta pelo partido, mas continua vice-presidente da Comissão Política Nacional do partido que impôs a disciplina de voto aos deputados na votação que aprovou o referendo à co-adopção…

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

 

||| O lenço não é imagem de marca porque há o pescoço

por josé simões, em 17.01.14

 

 

 

Vi uma vez o House, que é doutor, recusar contratar uma especialista, competentíssima, para a sua equipa porque se apresentou na entrevista com uns stilettos calçados que a deixavam em sofrimento. O argumento, do House que é doutor, foi mais ou menos o de que não podia confiar em alguém que abdicava do seu valor intelectual e das suas competências profissionais, em prol da aparência e da primeira impressão, só para conseguir o emprego de que precisava. É a chamada "psicologia" dos sinais exteriores.

 

E serve esta conversa da treta para perguntar se podemos confiar em alguém, no exercício da actividade política, no desempenho de cargos políticos e/ ou públicos, quando esse alguém esconde permanentemente o seu corpo dos olhares exteriores, dissimula para que aquilo que é não seja visto; podemos confiar que não recorre à mentira e à dissimulação para fazer passar a mensagem política, para esconder, para que aquilo que é não seja?

 

A demissão de Teresa Leal Coelho não foi da direcção do grupo parlamentar do PSD, não. Ao abandonar o hemiciclo e recusar votar, segundo as suas convicções contra a directiva do seu partido, foi a demissão da cidadania. Nos pratos da balança o carreirismo político e o calculismo sobre os proveitos futuros, de quem teve muito trabalhinho para chegar onde chegou, pesaram mais que o superior interesse da criança.

 

E isto vale também para todos os outros, bonzinhos e preocupadinhos e envergonhadinhos, das declarações de voto, e para quem os lugarzinhos stilleto de deputado da Nação é a coisa mais peneirenta que pode haver.

 

[Imagem de Tim Etchells]

 

 

 

 

 

 

||| Devagar, devagarinho…

por josé simões, em 20.11.13

 

 

|| Vocês não estão a ver bem o filme…

por josé simões, em 29.03.13

 

 

 

Quando Durão Barroso fugiu para Bruxelas, para se poupar os contribuintes a gastos desnecessários e ao enfado democrático que é consultar o povo para dizer de sua justiça, a solução encontrada para a sua substituição, dentro do quadro constitucional e sem recorrer a eleições antecipadas, foi a nomeação, pelo Presidente da República, do vice-presidente do PSD para o cargo de primeiro-ministro. O que se lhe seguiu reza a História.

 

Agora, que o Governo está preso por linhas de alinhavar e que, aqui e ali, se começam a ouvir vozes para que a solução governativa, depois da abalada destas coisas, sem ponta nem trambelho, que nos governam, passe, mais uma vez, pelo quadro parlamentar, e outra vez sem recorrer à consulta popular, porque ainda temos menos dinheiro do que da última e o povo já está rescaldado com trambiqueiros e trampolineiros… Vocês não estão a ver bem o filme, pois não?

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Que nem baratas tontas

por josé simões, em 28.03.13

 

 

 

Os amigos de António Borges dão o tudo por tudo para que o Governo não caia. É que ainda falta saquear a RTP, a TAP, a CP, as Águas de Portugal, a saúde e a escola pública…

 

E o PSD fazia um favor a si próprio, e em prol da pouca credibilidade que ainda lhe resta, colocando a vice-presidente em blackout e na última fila da bancada parlamentar. Tanta asneira junta também cansa:

 

«PSD diz que Tribunal Constitucional também está vinculado ao memorando da "troika"»

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Requiescat In Pace

por josé simões, em 24.03.13

 

 

 

Diz bem do estado a que o PSD chegou quando a vice-presidência é o vazio, a nulidade total.

 

[Imagem]