Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Portugal, 24 de Abril de 1974

por josé simões, em 11.07.17

 

Antonio_Salazar.jpg

 

 

se deixassem trabalhar a PSP como trabalhava há uns anos, bastava só oito dias e a PSP metia este país, metia os criminosos todos em linha

 

[Imagem]

 

 

 

 

||| A Caixa de Pandora

por josé simões, em 28.03.16

 

 

 

A Caixa de Pandora que os manos Castro abriram deixou sair só a esperença e, essa sim, é todos os males do mundo para a esperança que se transformou em ditadura. Até um dia.


"Tres uniformados de la Policía Nacional Revolucionaria (PNR) y una mujer con traje del Ministerio del Interior conducen a la detenida al auto policial. En el momento en que esta grita “¡Abajo la dictadura de los Castros!”, las dos gendarmes intentan introducirla en el carro por la fuerza, una práctica que se ha hecho frecuente en los actos represivos."


"En ese momento se puede ver como estalla la ira popular y varios vecinos salen en defensa de la detenida. Con gritos de “abusadores”, “golpes no" y "así no”, la ciudadanía reaccionó ante la violencia policial y provocó el desconcierto de los uniformados, que quedaron expuestos a los gritos de las personas y fueron filmados con varios aparatos electrónicos."

 

 

 

 

||| Da nova nornalidade

por josé simões, em 26.08.15

 

dead fix.jpg

 

 

Viver num país onde o Estado, detentor do poder de coerção legítimo, actua sobre os cidadãos, que deve proteger, não pela pedagogia mas por objectivos. O monopólio da violência legítima ao serviço do saque e do esbulho e uma máquina de cobrança fiscal ao serviço de interesses privados .


«O Estado arrecadou nos primeiros sete meses do ano 56,2 milhões de euros em multas por violação ao Código da Estrada, mostram dados da Direcção-Geral do Orçamento, divulgados terça-feira. Este montante equivale a 85,7% do objectivo fixado para 2015.»


«Multas de trânsito já renderam 86% do objectivo para 2015»


[Imagem]

 

 

 

 

||| quando for grande, quero ser...

por josé simões, em 02.06.15

 

psp portalegre.jpeg

 

 

«1 de junho, Dia Mundial da Criança, Portalegre. É de pequenino que se aprende a malhar. Sai uma comenda no dia 10 para a mente brilhante que planeou isto, sff.»

 

 

 

 

||| Polícias e papagaios, a mesma luta

por josé simões, em 22.05.15


Como as imagens o comprovam, a PSP no Marquês de Pombal em Lisboa, por ordem do Comando do Corpo de Intervenção, sem o equipamento de protecção indicado e adequado para fazer frente às hordas de hooligans.

 

psp lisboa.jpg

 

Como também as imagens comprovam, a PSP em Guimarães, por ordem do Comando do Corpo de Intervenção sem o equipamento de protecção indicado e adequado, vê-se em palpos de aranha para controlar e manietar um facínora infiltrado numa claque de futebol.

 

psp guimaraes.jpg

 

 E os papagaios repetem e repetem e repetem e tornam a repetir isto sem que ninguém lhes diga para olharem para as imagens que eles próprios colocam no ar pelos écrans das próprias televisões ou sequer lhes diga que em Londres os 'bobbies' nem arma usam...

 

 

 

 

||| Mais do mesmo

por josé simões, em 18.05.15

 

buzinão ponte 25 abril.png

 

 

Não é Dias Loureiro na Administração Interna, nomeado por Cavaco Silva, mas é o partido de Dias Loureiro, e o partido do líder que elogia Dias Loureiro, que nomeia a Administração Interna, suportado por Cavaco Silva. Mais do mesmo, portanto.


[Imagem]

 

 

 

 

||| Um raciocínio que é um programa completo

por josé simões, em 14.05.15

 

Majed Al Zaabi-National Geographic Traveler Photo

 

 

O Estado, aquela entidade mágica e imaterial, dos domínios do abstracto, e que jorra dinheiro a rodos como o magma jorra das profundezas do planeta. Ad aeternum.


"Não há nenhuma fraude, nem nenhuma ilegalidade. Já consultei o gabinete jurídico do sindicato. É o mesmo que ir às compras com a senha de refeição: o Estado não é lesado"


[Imagem]

 

 

 

 

||| "A necessidade aguça o engenho", vox pop

por josé simões, em 14.05.15

 

Francois-Papa-Doc-Duvalier.jpg

 

 

No Haiti de 'Papa Doc' os polícias só recebiam uma farda e uma arma, nada de salário, nada de susídios, nada de nada e o resto era lá com eles. Por cá ainda não chegámos a tanto.


«Polícias vão buscar passes gratuitos e saem com notas na mão»


[Imagem]

 

 

 

 

||| A direita no poder

por josé simões, em 14.12.14

 

espanha policia.jpg

 

 

Foi no dia 12 de Dezembro do ano de 2014 que a Espanha se tornou o primeiro país da União Europeia a proíbir os cidadãos de gravar imagens ou tirar fotos da polícia.


«O parlamento espanhol aprovou a controversa Lei de Segurança Pública quinta-feira, apenas com os votos positivos expressos pelo Partido Popular (PP).»


[Via]

 

 

 

 

||| Um vómito

por josé simões, em 07.03.14

 

 

 

Não sei de quem foi a ideia, se da central de agit-prop do Governo, se da direcção da polícia, ou se nasceu de "geração espontânea", mas ouvir em todas as televisões, todas, todas sem excepção, repetir, ad nauseam, pelos papagaios de serviço na/ à comunicação social capturada pelo poder político, que houve a preocupação [Da parte de quem? Foi declarado estado de sítio?] de encerrar todos os bares e tascos nas redondezas do Parlamento, porque a subida da escadaria da Assembleia da República, na última manif das polícias, se deveu ao efeito do álcool sobre os paisanos, passar para a opinião pública a ideia de que os polícias em protesto são todos uma cambada de bêbados exaltados, tipo "gordo da GNR" na porta da taberna nos idos do velho de Santa Comba, desvalorizar a revolta e a indignação de profissionais competentes e dedicados, amorfos Lei e Ordem, respeitinho, autoridade e busca-busca Bobby, e que não fora o tintol, o cervejame e a bagaceira, estavam ali uns paz de alma capazes de aceitar cortes de cento e tal euros no ordenado, de trabalhar em condições deploráveis, com material a pedir reforma e em esquadras abaixo de casota de cão, sem perder a fleuma e a bater muitas palminhas no fim ao Governo da Nação, diz mais, muito mais, sobre quem pôs a "notícia" a circular, e dos acéfalos que a repetem, do que propriamente do alvo a que se destina. Um vómito.

 

 

 

 

 

 

||| Uma embrulhada

por josé simões, em 14.12.13

 

 

 

E eis senão quando somos remetidos para o passado dia 21 de Novembro e as perguntas voltam a ser pertinentes:

 

- Houve um pauzinho na engrenagem da hierarquia de comando?

 

- As ordens do ministro não foram acatas pelo comando; as ordens do comando não foram acatadas pelo comando no terreno; os operacionais no terreno recusaram cumprir as ordens do comando?

 

- O ministro Miguel Macedo, sentindo-se desautorizado e sem o controlo da situação, apresentou o pedido de demissão e viu-o recusado pelo primeiro-ministro?

 

- A face do ministro, desautorizado e menorizado, foi salva por um comandante, "voluntário" para ser imolado?

 

- Era necessário mudar alguma coisa para que tudo ficasse na mesma, daí o aparente contra-senso da  substituição do comandante pelo comandante das forças no terreno?

 

- As contrapartidas para o acto de "voluntarismo heróico" do comandante começam agora a ser conhecidas?

 

«Paulo Valente Gomes, exonerado após a polémica da manifestação dos polícias na escadaria do Parlamento, vai ser oficial de ligação na embaixada em França. Irá ganhar 12 mil euros por mês, o triplo do que auferia como director da PSP»

 

A novidade é um Governo de direita embrulhado com a lei e com a ordem, a juntar às embrulhadas em que esta maioria PSD/ CDS-PP é pródiga. Imagem de marca.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| A sério?!

por josé simões, em 22.11.13

 

 

 

«Quem tem por missão fazê-las respeitar não pode dar o exemplo de as violar»

 

«num Estado de Direito há regras que devem ser observadas e limites que não podem ser ultrapassados»

 

 

A sério?! Miguel Macedo é ministro da Administração Interna deste Governo, desta maioria que, desde o dia da tomada de posse mais não fez do que violar as regras e ultrapassar os limites, desde os sucessivos Orçamentos do Estado até ao contrato social, ignorando que tem por missão fazê-las respeitar e dar o exemplo, ou foi só ali comprar cigarros e chegou agora?

 

[Imagem de LambertoTeotino]

 

 

 

 

 

 

||| Porque…

por josé simões, em 22.11.13

 

 

 

Apesar de à civil não comeram da mesma comida, não levaram pela mesma medida que civis, autores das mesmas façanhas, comeram e levaram, anteriormente, em situações semelhantes, porque:

 

     - A ordem foi dada pelo comandante no terreno e ignorada pelas tropas?

    - A ordem foi dada pelo comandante no gabinete, o ministro, e ignorada pelo comandante no terreno?

     - O comandante no gabinete não deu a ordem?

 

Direita no poder e Estado policial é um clássico que vem nos livros, agora conjugado com a Direita que não se preocupa só com os números da Economia e também aprende com as lições da História. Não sabemos é se o filme, que passou em directo e em horário nobre, nas televisões, compensa o resto.

 

[Imagem Peter Liversidge]

 

 

 

 

 

 

||| É GOOOOOOOLO!

por josé simões, em 21.11.13

 

 

 

Alô Rodrigo, onde é que estás? Estou aqui na Tapadinha da Ajuda a fazer a reportagem sobre o treino do Atlético… Então vai já para a Assembleia da República, que é mesmo aí ao lado, cobrir a manif dos polícias.

 

"O que é facto é que acabou por acontecer esta invasão de campo, essa invasão do relvado".

 

 

 

 

 

|| Paulo Portas já não quer que Portugal seja a Roménia de Ceausescu

por josé simões, em 10.09.13

 

 

 

E vai deixar de andar de Correio da Manha [sem til] debaixo do braço e de fazer visitas à baixa de Setúbal a propósito de problemas no Bairro da Bela Vista na alta. Um valentão.

E, entre políticas de incentivo à natalidade ["a redução da população e o seu envelhecimento"] e poupar nos gastos com a segurança ["restrições orçamentais e o peso das despesas com pessoal"], o ex partido da família opta por passar a ex partido da segurança, que do contribuinte já era. E do idoso também.

 

Assim como a seguir à revolução de Abril de 74 proliferavam os partidos com "m-l" e "r" [de Reconstruído] em letras miudinhas a seguir à sigla, temos agora o CDS-PP [ex]. De "já foi", não de abreviatura de exemplo.

 

[Imagem]