Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Passos Dijsselbloem Coelho

por josé simões, em 23.03.17

 

 

 

[Daqui]

 

 

 

 

 

O representante de Dijsselbloem em Portugal

por josé simões, em 22.03.17

 

 

 

O PSD não só repudia as declarações de Dijsselbloem como o PSD considera-as indignas, impróprias e inaceitáveis, venham as graçolas, de mau gosto e que não se coadunam com a dignidade de cargos e instituições, de um socialista ou do próprio líder do PSD - Pedro Passos Coelho, quando apregoava a punição austeritária para disciplinar anos a fio de putas, vinho verde e almoçaradas em restaurantes, o viver acima das nossas possibildades e a expensas dos países do Norte da Europa.

 

[Mais]

 

 

 

 

 

A insustentável leveza de Passos Coelho

por josé simões, em 20.03.17

 

Chuck Jones. Character layout drawing, Bugs Bunny,

 

 

Daí nem ser de gastar o precioso tempo do Conselho de Ministros com tamanha maçada:

 

Teríamos necessidade entre 40 a 50 mil milhões de euros para poder imunizar o sistema bancário dos riscos mais elevados

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

Velhos tiques

por josé simões, em 16.03.17

 

 

 

[Daqui]

 

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 15.03.17

 

O homem que fundou a meias com Miguel Relvas uma empresa para sugar fundos comunitários em acções de formação para controladores de aeródromo na zona centro; o homem que sem se lembrar do salário que recebia trabalhou para uma Organização Não Governamental criada com o objectivo de sacar fundos comunitários; Pedro Passos Coelho no debate Fórum Jovem da JSD Distrital de Lisboa:

 

As sociedades mais dinâmicas premeiam os empreendedores. Em Portugal, ainda há muito para fazer para dirigir os incentivos correctos

 

 

 

 

 

Era só já o que restava no "pote"

por josé simões, em 14.03.17

 

 

 

Em 2015, depois de 4 - quatro - 4 anos passados sem que a questão da banca tivesse sido abordada em Conselho de Ministros, logo por azar o segundo "pilar" do memorando de entendimento com a Troila, Pedro Passos Coelho do programa do PSD "compatível com o memorando da Troika", o primeiro-ministro do "ir além da Troika", mostrava grande preocupação com a Caixa Geral de Depósitos, logo também por azar o banco do Estado.

 

Era só já o que restava no "pote" e havia que arranar uma forma de meter os contribuintes a pagar do seu próprio bolso a privatização.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 05.03.17

 

restroom.jpg

 

 

Apoucar e amesquinhar as decisões do Tribunal Constitucional durante quase 5 anos de Governo, propor transferir competências do Constitucional para uma secção do Supremo, "não é uma atitude democrática madura, não é uma atitude de alguém que tenha uma visão tolerante do debate político e, sobretudo, não é uma atitude de quem gosta de olhar para a sociedade e nela apreciar instituições credíveis". Foi cada vez mais patente a tendência do PSD e do CDS para retomar "tiques de outros tempos".

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

Para memória futura

por josé simões, em 04.03.17

 

boom.jpg

 

 

Passos diz que o governador do Banco de Portugal tem condições para cumprir o mandato.

 

]Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 12.02.17

 

clown.jpg

 

 

O líder do Governo da "reforma autárquica" de Miguel Relvas, da "reforma da Justiça" de Paula Teixeira da Cruz e da "reforma do Estado" de Paulo Portas diz que o Governo não pode fazer a descentralização discutida e aprovada "às três pancadas".

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 11.02.17

 

clown.jpg

 

 

Depois de oito Orçamentos do Estado em quatro anos de legislatura:

 

Nunca outro ministro errou tanto como Centeno diz Passos Coelho

 

[Imagem]

 

 

 

 

Piada feita

por josé simões, em 10.02.17

 

 

 

Pedro Passos Coelho acusa o ministro das Finanças de esconder ao Parlamento e de faltar à verdade.

 

 

 

 

 

The Black Knight

por josé simões, em 09.02.17

 

 

 

Portugal, ano do Nosso Senhor 2015. Os portugueses continuam à mercê da austeridade neoliberal, mas eis que surge uma geringonça determinada em levar o país por outros rumos.

 

 

 

 

 

PDEC, Processo de Despedimento em Curso

por josé simões, em 16.01.17

 

galo+portogues-cata-vento.jpg

 

 

E se agora o cata-vento Passos Coelho, depois do recado dado pelo moço de recados, mudar outra vez de posição para a posição que já foi a sua, assume definitivamente o seu "cata-ventismo", mal grado os outros cata-ventos desta história. Como diz o povo, "quem boa cama fizer nela se há-de deitar". Começou o PDEC, Processo de Despedimento em Curso.


[Imagem]

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 13.01.17

 

clown.jpg

 

 

Em vez de o Governo e o PS criticarem o BE e o PC, insultam o PSD


[Imagem]

 

 

 

 

Os ilusionistas

por josé simões, em 12.01.17

 

 

 

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal, a 3 de Agosto de 2014: "A medida de resolução agora decidida pelo Banco de Portugal, e em contraste com outras soluções que foram adoptadas no passado, não terá qualquer custo para o erário público, nem para os contribuintes". Passos Coelho, a 4 de Agosto: [A solução] é aquela que oferece, seguramente, maiores garantias de que os contribuintes portugueses não serão chamados a suportar as perdas". Maria Luís Albuquerque, ministra das Finanças, a 7 de Agosto: "Aconteça o que acontecer ao Novo Banco, [o Estado] não vai ser chamado a pagar eventuais prejuízos. Isso tem de ficar muito, muito claro". Cavaco Silva, presidente da República, a 26 de Setembro de 2014: "A autoridade de supervisão, entre as alternativas que se colocavam, escolheu aquela que melhor servia o interesse nacional e que não trazia ónus para o contribuinte".