Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

A lei dos palermas

por josé simões, em 19.07.17

 

roy masters.jpg

 

 

Parece que a Autoridade Nacional de Protecção Civil adoptou como norma para os bombeiros aquilo que é a norma para todas forças de segurança, militares ou civis, em todo o mundo civilizado: haver uma única fonte. autorizada e documentada. para fazer a ligação com os órgãos da comunicação social. Como vão deixar de cair aviões Canadair por dá cá aquela palha e a pedido da urgência do directo e do ser o primeiro a dar a notícia, os palermas, que têm de fazer prova de vida e aparecer às horas certas nos noticários a dizer qualquer coisa por mais imbecil que seja, vêm falar em "lei da rolha".

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Um fim-de-semana em beleza

por josé simões, em 16.07.17

 

no surfing.jpg

 

 

   - Aquilo é o Monte do Tempo, o local da "Pedra do Sacrifício", o Templo de David e Salomão, de Salomão o Rei dos Judeus, os judeus do judaísmo, a religião monoteísta mais antiga do mundo, e aparece um imbecil com a cabeça enrolada em trapos e com tempo de antena global nas televisões de todo o mundo a falar em "potência ocupante".

 

   - Pedro Passos Coelho, que foi a Pedrógão Grande ainda o fumo saía das brasas do incêndio e que logo aproveitou a tournée para anunciar urbi et orbi o suicídio de cidadãos anónimos movidos pelo desespero e pelo abandono a que foram votados pelo Governo socialista, vem agora bramar para as televisões contra o "aproveitamento político" e o indecoro que é a presença na região dos ministros do Governo socialista no exercício da função para a qual foram investidos, serem ministros e resolverem os problemas das pessoas.

 

Um fim-de-semana em beleza.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Lavagem cerebral

por josé simões, em 15.07.17

 

Sem Título.png

 

 

As televisões do militante n.º 1, SIC generalista e SIC Notícias, que dão mais tempo de antena a Pedro Passos Coelho que a António Costa e aos ministros e secretários de Estado do Governo da 'Geringonça' todos juntos, para se justificar começa sempre os telejornais com a "notícia" "ouviram-se críticas de Passos Coelho", seguido da imagem da alma penada, de pin na lapela, a desfilar um chorrilho de invenções de ocasião enquadradas nalgum quadro real, geralmente de desgraça e infelicidade alheia, da qual retira um perverso prazer em surfar e capitalizar politicamente, sem que oiça o desmentido ou o respectivo contraditório. E vai ser assim até ao dia das eleições autárquicas, pelo menos.

 

[Imagem]

 

 

 

 

O Donaltim

por josé simões, em 13.07.17

 

ventríloco.png

 

 

Bastava estar atento, de véspera, ao que Miguel Morgado e Bruno Maçães diziam e escreviam para saber como ia ser, no dia a seguir, o discurso de Pedro Passos Coelho e para perceber que não tem uma única ideia sua dentro daquela cabeça. A novidade é o aparecimento de Miguel Poiares Maduro na equação e logo com citações na íntegra.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Nunca mais chega o Verão

por josé simões, em 07.07.17

 

jessica brilli.jpg

 

 

Quatro anos de cativações, dez chumbos pelo Tribunal Constitucional, oito orçamentos rectificativos, nenhuma meta cumprida. Vamos lá então falar de cativações.

 

[Imagem]

 

 

 

 

"Não faz sentido estar a demonizar o eucalipto"

por josé simões, em 29.06.17

 

Sem Título.png

 

 

O problema do eucalipto é o minifúndio, principalmente, e por razões históricas, aprendia-se dantes na escola, a norte do rio Mondego. E depois meteram na cabeça das pessoas que podiam ficar ricas à conta do "petróleo verde", era só plantar, esperar que crescesse, chamar o lenhador e meter o dinheiro ao bolso. E agora temos um problema. Um problema de florestas cerradas em guarda de honra a estradas nacionais e municipais. Tão cerradas que nem os comandos lá conseguem entrar. Tão cerradas que eram bem capazes de servir como cenário a uma remake de Apocalipse Now. Portanto, e mais uma vez e outra vez e as vezes que forem necessárias, Pedro Passos Coelho é desonesto, não é defeito é feitio, quando diz que a floresta de eucalipto é a que arde menos e aquela onde o fogo se apaga com maior facilidade, a menos que ideia seja entregar todo o território nacional às celuloses, processo interrompido com a saída de Assunção Cristas do ministério da Agricultura e de Pires de Lima do ministério da Economia.

 

Entre o diabolizar o FMI, o Diabo que vem e o demónio no eucalipto, lá vai ele cantando e rindo.

 

[Na imagem um troço da EM 621 entre Vale de Cambra e o alto da Serra da Freita]

 

 

 

 

A queda do segundo Canadair

por josé simões, em 27.06.17

 

 

 

As explicações para a notícia da queda do avião Canadair no incêndio de Pedrógão Grande podem ser encontradas nas imagens da "queda do segundo Canadair" em Castanheira de Pera, com o "jornalista" da SIC atrás de Passos Coelho, de microfone estendido, que sim senhor, que é verdade, que se confirma, que ele viu o suicida.

 

[Via]

 

 

 

 

Um canalha

por josé simões, em 26.06.17

 

hanging.jpg

 

 

Todo lampeiro, sem respeito por ninguém, vivos e mortos, a chegar-se à frente para tirar dividendos das urnas nas urnas.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

O dissimulado

por josé simões, em 26.06.17

 

Rebecca Szeto.jpg

 

 

Que o Estado falhou. E que a falha do Estado foi colmatada pela "sociedade civil", esquecendo-se, o dissimulado, de referir que foi a "sociedade civil" sem qualquer apoio do Estado. Não só estragava a narrativa como inviabilizava o princípio ideológico de desmantelar e privatizar o Estado, nas sua função social, em benefício de determinada da "sociedade civil", continuando contudo o Estado a subsidiar com o dinheiro dos contribuintes com o álibi da "proximidade" de quem está no terreno.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Um passo atrás para dar dois à frente

por josé simões, em 18.06.17

 

Miguel Marquez.jpg

 

 

Que a Fitch baixou o outlook depois da entrada em funções do Governo da 'Geringonça', por socialistas condicionados na acção governativa por estalinistas e trotskistas, os mercados, os investidores, o drama, a tragédia, o horror, deduz-se. Não, não perdemos um ano, demos um necessário passo atrás para dar dois à frente na desmontagem da TINA - There Is No Alternative, e é isto que dói a Pedro Passos Coelho à direita radical, a desmontagem de toda uma narrativa para o empobrecimento do país e para a transferência de riqueza do trabalho para o capital durante os quase 5 anos em que foi primeiro-ministro.

 

[Imagem]

 

 

 

 

O general Verão

por josé simões, em 16.06.17

 

Alexis Diaz.jpg

 

 

O grande inimigo de Pedro Passos Coelho dá pelo nome de Verão, general Verão. O diabo exorcizado, o emprego a crescer, a economia a crescer, as exportações a crescerem, as pessoas a irem de férias com mais dinheiro no bolso, a desligar de tudo e a deixar a silly season a expensas dos políticos que têm de deitar contas à vida. Tudo contra. E no final do Verão as eleições.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Transtorno obsessivo-compulsivo

por josé simões, em 12.06.17

 

a patient of Serbian Psychiatric Hospital taken in

 

 

Depois de ter passado um ano a acusar o Governo de destruir a herança, Passos Coelho acusa agora o Governo de viver da herança. E isto em medicina tem um nome.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

Recapitulando...

por josé simões, em 08.06.17

 

PollutedWaterPopsicles.jpg

 

 

"Que fique bem claro que, no que respeita às rendas da energia, só houve um Governo em Portugal que cortou em quase quatro mil milhões de euros nas rendas da energia e quase metade desse valor recaiu sobre a EDP. Por acaso recaiu sobre a EDP".
 
 
 
[Imagem]
 
 
 
 

¿Por qué no te callas?

por josé simões, em 04.06.17

 

PassosCoelho.jpg

 

 

"Nós pomos sempre o interesse do Portugal, à frente do interesse do assumindo assim Pedro Passos Coelho que o interesse do PPD/ PSD não é o interesse de Portugal.

 

Quem é que no seu perfeito juízo vota num aglomerado de personagens que aproveitando os mecanismos da democracia parlamentar representativa se organizaram num partido político cujo interesse não coincide com o interesse do país?

 

 

 

 

 

"Nós mantemos uma linha de rumo que é congruente. Temos sido muito consistentes no que dizemos"

por josé simões, em 31.05.17

 

Coyotte.jpg

 

 

[Pedro Passos Coelho nas jornadas parlamentares do PSD em Albufeira]