Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

O dia seguinte

por josé simões, em 14.11.17

 

Publico 13 Nov 2017 (2).jpg

 

 

 

 

As primeiras páginas dos jornais no dia a seguir ao Público ter feito manchete com a fraude no valor de 6.747.462 € [seis milhões setecentos e quarenta e sete mil quatrocentos e sessenta e dois euros] com fundos comunitários, era Miguel Relvas secretário de Estado da Administração Local no Governo de Durão Barroso e Pedro Passos Coelho administrador da Tecnoforma, a empresa beneficiária dos fundos.

 

 

 

 

cm (1).jpg

 

 

jn.jpg

 

 

dn.jpg

 

 

i.jpg

 

 

negocios.jpg

 

 

 

 

||| "Efectivamente"

por josé simões, em 14.06.15

 

Sem título.jpg

 

 

"Este é efectivamente um dia que faz história na política agrícola em Portugal"

 

Efectivamente prezo saber que o dinheiro dos meus impostos é aplicado a preparar o futuro dos líderes do CDS na vida civil depois de perdidas as eleições.

 


Efectivamente não há almoços grátis.

 

 

 

 

||| Rap’ ó tacho

por josé simões, em 13.04.15

 

 

 

Ou o mui famoso "aliviar o peso do Estado na Economia".


«Apesar de ainda estar a arrancar, o novo programa de fundos comunitários, Portugal 2020, é um mundo de novas oportunidades para as sociedades de advogados portuguesas, que já estão a preparar-se para assessorar os seus clientes e, até, para uma vaga de novos clientes interessados em candidatar-se.»

 

 

 

 

||| Está aqui tudo

por josé simões, em 10.04.15

 

 

 

E só o título dispensa, logo à partida, o cronista de esbanjar tempo e português:


« Governo nomeia gestor chumbado pela comissão de recrutamento


Pela primeira vez, a recomendação da Cresap não foi seguida. Ana Pinho foi escolhida para gerir fundos comunitários, apesar da falta de experiência.»

 

 

 

 

||| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 07.12.14

 

sapatos palhaço.jpg

 

 

Das obras faraónicas que nunca ninguém viu sair do papel que nunca ninguém viu e com benefícios só para alguns que toda a gente viu, da formação de um técnico camarário por m2 para aeródromo e heliporto na zona centro do país, do preço que foi pago por todos nós, do 'socialismo' que eles gostaram.


"Quantas obras foram realizadas em Portugal durante tantos anos, que nos pareceram quase faraónicas, sem que isso tivesse resultado em benefício de ninguém? Hoje sabemos, feitas as contas, que houve benefícios, mas não foi para todos, foi apenas para alguns. Mas também sabemos que o preço que será pago por isso será pago por todos e esse é o socialismo de que não gostamos"


[Imagem]

 

 

 

 

||| Uma conjugação irresistível

por josé simões, em 24.11.14

 

controlador aéreo.jpeg

 

 

 

Pedro Passos Coelho + Fundos Europeus:

 

"Passos Coelho anuncia concursos para candidaturas a fundos europeus até final do ano"

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| Se Portugal fosse um país decente

por josé simões, em 18.10.14

 

no-pasa-nada.jpg

 

Nunca mais se ouvia falar em Rui Rio até ao fim dos tempos. Mas como parece que o homem faz falta aí para umas coisas que hão-de vir, a next big thing, tipo dar credibilidade à política e aos políticos e ao PSD e à direita e tal [não necessariamente por esta ordem], no pasa nada!


[Imagem]

 

 

 

 

||| É muito feio ver um universitário, um académico de currículo recheado, prestar-se a palhaçadas propagandísticas

por josé simões, em 23.04.14

 

 

 

Depois de encerrar escolas, centros de saúde, tribunais e repartições de finanças, o Governo avisa que o «novo QREN poderá ter concursos para beneficiar zonas com menos população». "Poderá" que é diferente de terá.

 

Diz que também está a ponderar a possibilidade de haver igualmente "medidas de discriminação positiva" nos processos de licenciamento de projectos. "Ponderar" que é diferente de adquirido.

 

E também diz que há a hipótese de "majorar positivamente" as zonas com menos população. "Hipóteses" que é diferente de decidido.

 

E que "poderá" e "ponderado" e "hipótese" depois, vai definir "uma taxa de comparticipação maior" para os projectos, de forma a captar investimentos nas regiões desertificadas, como se alguém no seu perfeito juízo fosse investir o que quer que seja numa região desertificada de escolas, de centros de saúde, de tribunais, de repartições de finanças e de gente.

 

[Na imagem estação de metro em Berlim, de autor desconhecido]

 

Adenda: Também diz que se construíram para aí umas estradas e uns equipamentos públicos, faltaram os aeródromos e os aeroportos malgrado a formação dada para futuros controladores [esta parte digo eu], mas que não serviu para nada disso da coesão nacional e territorial. Serviu para as pessoas se pirarem mais rápido, depois da "hipótese" e do "ponderado".

 

 

 

 

 

 

||| Não há a puta da vergonha

por josé simões, em 12.04.14

 

 

||| O Portugal de Cavaco Silva e dos fundos comunitários resumido numa frase

por josé simões, em 05.04.14

 

 

 

Para os que nasceram depois e para os que não têm memória e para quando Cavaco Silva, O Avisador, vier outra vez avisar da urgência de uma aposta do país no mar:

 

Uma embarcação de luxo numa marina onde antes era a lota e o porto de pesca.

 

E é assim um pouco por todo o país, de Vila Real de Santo António a Caminha, a "aposta no mar" foi feita nos anos 90 pelo homem que mais tempo esteve na liderança do país desde Salazar, o "mar nosso" passou a "mar deles".

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

||| Muito obrigado España

por josé simões, em 19.02.14

 

 

 

Cavaco Silva, O Avisador, quando nunca se enganava e raramente tinha dúvidas, pagou para arrancar olival. Filipe González, José María Aznar, José Luis Zapatero, e isto sim é consenso e visão e grandes opções estratégicas, muito diferente da "união nacional" passista que rima com passadista, pagaram para comprar terreno de olival arrancado em Portugal.

 

«Produção de azeitona foi a maior dos últimos 50 anos»

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 31.01.14

 

 

 

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, há bocado, e em resposta a uma questão do líder da sua bancada parlamentar, Luís Montenegro, sobre a Tecnoforma, empresa de que foi consultor e depois gestor, e da mãozinha dada pela sua cara metade e à época secretário de Estado da Administração Local, Miguel Relvas, sobre o novo quadro comunitário de apoio [QREN]:

 

«A nossa prioridade não é gastar todo o dinheiro porque essa foi sempre a armadilha em que se caiu no passado, "é preferível gastar ainda que mal do que devolver", não é verdade, às vezes é preferível não gastar do que ficar com um peso muito pesado para o futuro em obras de funcionamento, de utilização, mas também de conservação e de recuperação de investimentos mal decididos»

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Defina sábio, sff

por josé simões, em 14.08.13

 

 

 

Uma ajuda Priberam, outra ajuda Dicionário Online de Português, e ainda outra ajuda Wikicionário. Comparar depois sabedoria com esperteza, saloia ou não, que permite atingir o estatuto de sábio, pelo mínimo de três décadas dentro do sistema, a respirar o sistema, a vestir-se do sistema, a alimentar-se do sistema, a dizer que o pão para a boca está mal cozido por defeito no forno e por falta de profissionalismo do padeiro. Eraserhead.

 

O sábio é aquele que diz o que o Governo quer que seja dito; o sábio é aquele que diz o que o Governo quer ouvir.

 

[Imagem de Eraserhead]

 

 

 

 

 

 

|| Não é por nada

por josé simões, em 24.04.13

 

 

 

Mas ouvir alguém ligado ao PSD a falar em, a médio prazo, «criar uma instituição financeira de desenvolvimento» para reestruturar os instrumentos financeiros ao dispor das PME, tudo misturado no mesmo saco dos «fundos comunitários» e das «aplicações financeiras para canalizar as poupanças», deixa-me com pele de galinha.

 

 

 

 

 

 

|| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 03.04.13

 

 

 

E não explicou como e porque é que as famílias que até meados do século passado trabalhavam em profissões de grande esforço e desgaste físico, com horários de sol a sol e de domingo a domingo, sem férias nem feriados nem dias santos, tinham seis, oito, dez e doze filhos por casal.

 

«O ministro da Solidariedade e da Segurança Social, Pedro Mota Soares, anunciou a intenção do Governo de recorrer a fundos comunitários para incentivar o emprego a tempo parcial. A ideia é, através desta medida, estimular a natalidade.»

 

[Imagem "Vintage Circus Poster, A Child's Dream, Black and White Poster Size Book Plate"]