Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

O militante n.o 1 no seu labirinto

por josé simões, em 30.07.17

 

Dickxon Fernando.jpg

 

 

As redes sociais são boas quando usadas pelos avençados do partido do militante n.º 1 para largarem spin, fazerem acções de propaganda e manobras de intoxicação da opinião pública.

As redes sociais são boas para o grupo de comunicação social do militante n.º 1 estar nelas.

As redes sociais são boas para os jornalistas do grupo de comunicação social do militante n.º 1 virem para as redes sociais queixarem-se das redes sociais.

As redes sociais são boas para os órgãos de comunicação social do grupo de comunicação social do militante n.º 1 lucrarem milhões com o clickbait.

As redes sociais são boas para a televisão do militante n.º 1 fazer RT e linkar, de sábado a segunda, notícias saídas no jornal do militante n.º 1.

As redes sociais são boas para o pivô do telejornal noticiar "o movimento nascido nas redes sociais" e o que "o político tal disse nas redes sociais".

As redes sociais são boas, a começar pela "alvorada" dos blogues, porque democratizaram a opinião e, como consequência, a opinião pública deixou de só opinar o que interessava à opinião privada, patrocinadora de fazedores de opinião pagos pelo grupo de comunicação social do militante n.º 1.

 

Redes sociais são usadas para difundir "mentiras e meias verdades"

 

[Imagem]

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 27.07.17

 

white-makeup-clown.jpg

 

 

Apenas quatro dia depois de ter feito gordas de primeira página para uma notícia baseada na boataria e no diz que disse do Facebook o Expresso faz um multimédia "acredita mesmo em tudo que lê na internet?"

 

[Imagem]

 

 

 

 

Jornalismo rasca

por josé simões, em 25.07.17

 

SIC Notícias.jpg

 

 

[Clicar na imagem].

Sábado o dia todo, domingo o dia todo, segunda-feira o dia todo, todo o santo dia à roda de uma suposta notícia na primeira página do Expresso de sexta-feira à meia-noite. A todas as horas certas em todos os telejornais "segundo o Expresso", "segundo o Expresso", "segundo o Expresso", "as listas que circulam nas redes sociais", "uma empresária que fez uma investigação". O verdadeiro jornalismo rasca neste momento tem casa no Expresso e na SIC e SIC Notícias, já que o Correio da Manha não tem pretensões a "jornalismo de referência".

 

[Gravação]

 

 

 

 

 

Panamá Tretas, sétima semana

por josé simões, em 21.05.16

 

i_heart_panama_city_panama_postcard.jpg

 

 

Governo aprova injeção de €4 mil milhões na Caixa. Acordo fechado na TAP. Chineses entram em Agosto. Sanções de Bruxelas? UE precisa de um Governo de esquerda bem-sucedido. Zzzzzz...


O trabalho do jornal do militante n.º 1 para descredibilizar toda e qualquer futura investigação sobre offshores, e provocar na opinião pública a indiferença às respectivas notícias, está feito. Mission accomplished.

 

[Imagem]

 

 

 

 

||| "O meu futuro, a minha reforma"

por josé simões, em 17.05.16

 

Tony-Ray-Jones--Butlin's Holiday Camp, Clacton-on-

 

 

"Como vai ser a minha reforma, qual o papel do Estado e, [debate inquinado logo à partida], que parte cabe aos privados?", que estão genuina e desinteressadamente preocupados com o meu futuro e com a minha reforma. O Expresso em parceria com a Eurovida, uma companhia de seguros, e um banco, o Popular. É tudo negócio e "liberdade para pensar". E fazer fé que, em caso de malabarices e trafulhices por parte de quem, geguinamente se preocupa com o meu futuro e a minha reforma, a parte que cabe ao Estado é assumir o prejuízo, depois da parte do meu futuro e da minha reforma que couber aos privados. A entrada é livre, apesar de haver quem jure a pés juntos que "não há almoços grátis".


[Imagem "Butlin's Holiday Camp, Clacton-on-Sea, 1966",

Tony Ray-Jones]

 

 

 

 

||| Panamá Tretas, 5.ª Semana

por josé simões, em 07.05.16

 

1908-Coins-of-Panama-Postcard-Silver-Embossed-w-Fl

 

 

E se o nome do militante n.º 1 constar nos Panama Papers o jornal do militante n.º 1 faz primeira página com ele para a televisão do militante n.º 1 repetir durante o fim-de-semana a todas as horas certas?


[Imagem]

 

 

 

 

||| Jornalismo de qualidade

por josé simões, em 06.05.16

 

durão barroso.jpg

 

 

Ricardo Costa: "Como é que reage quando lhe lembram a Cimeira das Lajes e o papel que teve na Cimeira das Lajes [...]?"


Durão Barroso: "Bom... como é que reajo... ouço as críticas, conheço as críticas, [...] aaa... aliás na altura com o apoio [o rosto ilumina-se-lhe com um esboço de sorriso] do Parlamento português e com o apoio do Presidente da República de Portugal doutor Jorge Sampaio [...]"


Durão Barroso não foi o mordomo das Lajes. O mordomo das Lajes foi Jorge Sampaio. O mordomo das Lajes foi Durão Barroso porque Jorge Sampaio e o Parlamento disseram que sim. O mordomo das Lajes não foi um foram dois, foram Jorge Sampaio e o Parlamento português com Durão Barroso no papel de mordomo do mordomo, se calhar até contra vontade.


Obrigado SIC, obrigado Expresso.


[Durão Barroso na imagem]

 

 

 

 

||| Panamá Tretas, 4.ª Semana

por josé simões, em 30.04.16

 

 

 

Blah-Blah-Blah. Num quiosque ou numa banca perto de si.

 

 

 

 

||| A sério que ainda levam isto a sério?

por josé simões, em 28.04.16

 

vintage-dc-comics-superman-clark-kent-halloween-ma

 

 

Durante dezenas de anos Ricardo Salgado e o Banco Espírito Santo pagaram jornais inteiros, o Expresso incluído, por via da publicidade no jornal principal, nas revistas, revistinhas, cadernos e anexos do golfe e do ténis e da jardinagem e da casa e imobiliário, tudo ensacado num plástico com umas tiras verdes e publicidade ao BES. Os jornais, os jornalistas pegavam com pinças em tudo o que cheirasse, mesmo que ao de leve, a sagrada família, em nome do pai, dos filhos e do Espírito Santo que as vendas de jornais estavam/ estão pela hora do pessoal só ver as gordas nas bancas e nos quiosques ou no online com o adblock activado.


A sério que ainda levam o Expresso a sério?


Durante dezenas de anos, mais propriamente quarenta e dois, a contar desde o dia 25 de Abril de 1974 até à hora em que teclo estas linhas, jornalistas suspenderam, os que suspenderam, a carteira de jornalista e abraçaram, de corpo e alma e de conta bancária recheada, as causas de governos e de presidentes e de câmaras municipais e de embaixadas e de consulados diversos de países diversos para depois, terminada a comissão de serviço, regressarem aos jornais, como se nada tivesse acontecido, para continuarem a investigar e a informar, de forma isenta e imparcial os leitores, que a gente faz que acredita e há outros que gostam de ser comidos por parvos e jornalismo e jornalistas militantes é no Avante! .


Mas agora tudo muda porque o morto, ex-Dono Disto Tudo e da publicidade paga nos jornais também, que morreu mesmo mesmo mesmo antes de ser condecorado no Dia da Raça, foi azar, por um cadinho assim, parece que tinha um saco azul na cidade do Canal com o qual pagava, que neste contexto quer dizer comprava, autarcas, funcionários públicos, gestores, empresários e jornalistas. Jornalistas. Jornalistas nos Panamá Tretas. Isso é que não pode ser.


A sério que levam os jornalistas e o sindicato dos jornalistas a sério?


[Clark Kent na imagem]

 

 

 

 

||| Panamá Tretas, 3.ª semana

por josé simões, em 23.04.16

 

Souvenir Panama Canal.jpg

 

 

Ricardo 'O Proscrito' Salgado, agora que já não paga publicidade no jornal, na revista e em todos os cadernos que fazem a arroba de papel que é o saco do Expresso, à cabeça e em tamanho cabeçudo e em letras gordas. Cá em baixo, e por debaixo dos deputados da Madeira, em letras pequenas, os coitadinhos Pedro Queiroz Pereira, Ângelo Correia e um Champalimaud qualquer que só é conhecido por causa do nome do pai. Se calhar foram enganados pelo cabeçudo que encabeça a página...


O inestimável e impagável trabalho que o jornal do militante n.º 1 está a fazer para descredibilizar de uma vez por todas toda e qualquer investigação que venha a ser feita a paraísos fiscais.

 

[Imagem]

 

 

 

 

||| Panamá Tretas, 2.ª Semana

por josé simões, em 16.04.16

 

PanamaHat.jpg

 

 

Nos Panama Tretas no jornal do militante n.º 1 já passaram à reserva territorial u, "ex-presidente do Benfica", um "ex-ministro" de José Sócrates e "ex-BES", continua no activo o saco de pancada, morto – Ricardo Salgado, agora na companhia do joker – Sócras himself, que safa todas as primeiras páginas e aberturas de telejornal, da chuva no nabal ao sol na eira e, o empresário, que continua a ser "ex-nada" mas que, após uma semana de muita insistência, com as redes e a bloga a linkar o Google, já é "foi comendado por Cavaco Silva" porque a partir de hoje os outros – Helder Batalgia e "o dono da Gelpeixe", "comendadores da República", também o foram.


Entretanto os "há ex-ministros", prometidos pelo jornal do militante n.º 1 no dia zero dos Panama Tretas, vão preparando a sua defesa, nos media que é onde se julga e condena, já que são para publicar, em fascículos coleccionáveis no lugar da História de Portugal do Rui Ramos, só lá para o Verão, aquela época do ano em que é preciso manter as tiragens porque o pagode vai para a praia e deixa a encomenda feita no quiosque ou na tabacaria.


[Imagem]

 

 

 

 

||| Panamá tretas

por josé simões, em 11.04.16

 

Panama vintage postcard.jpg

 

 

No filtro jornalístico de "rigor e isenção" às "Panamá Tretas" [autor] o Expresso continua a bater no morto – Ricardo Salgado e o GES/ BES, continua a haver um "ex-presidente do Benfica", agora na companhia de um "ex-ministro" também "ex-BES" e do "empresário" que continua a ser ex-nada.


Se em Portugal houvesse consciência crítica e exigência no próximo sábado o jornal do militante n.º 1 tinha uma quebra nas vendas para metade.


[Imagem]

 

 

 

 

||| O circuito editorial do grupo de comunicação do militante n.º 1

por josé simões, em 09.04.16

 

panama postcard.jpg

 

 

O circuito editorial do grupo de comunicação do militante n.º 1 é sempre o mesmo, nunca desilude, é como a certeza de que o Sol vai nascer todas as manhãs: a partir da meia-noite o jornal do militante n.º 1 faz as parangonas que a televisão do militante n.º 1 vai repetindo, durante todo o fim-de-semana em todos os blocos noticiosos, com base na chancela da "isenção" e da "qualidade jornalística" do jornal do militante n.º 1, num rápido contágio aos canais da concorrência com um "o Expresso avança", "fontes próximas á investigação que falaram ao Expresso". E passa a ser verdade. E, este fim-de-semana, passou a ser verdade que há um "ex-presidente do Benfica" envolvido nos Panama Papers mas não há um "ex-patrão de Pedro Passos Coelho" envolvido na papelaria da cidade do Canal.


[Imagem]

 

 

 

 

||| Novilíngua

por josé simões, em 27.02.16

 

expresso.png

 

 

"Pequeno incidente".


A falta de respeito do Governador de Portugal pelos portugueses, pelos seus sacrifícios e privações, pelo esforço do seu trabalho para pagar o BES, para pagar o Banif, e para pagar principescamente a Sérgio Monteiro para vender o Banco Internacional de Cabo Verde a José Veiga, proibido pelo Ministério público de contactar Sérgio Monteiro.

 

 

 

 

||| One size fits all e fazemos um figurão

por josé simões, em 31.01.16

 

Sem título.png

 

 

O jornal do militante n.º 1 faz uma primeira página one size fitls all que vale para tudo e para todos em qualquer ocasião, passada, presente, ou futura, como se fosse um furo fantástico, conseguido por um acesso privilegiado a fontes muito bem colocadas em Bruxelas, sobre uma espada de Dâmocles sob a cabeça de António Costa e do XXI Governo constitucional para depois a televisão do militante n.º 1 passar o fim-de-semana a repetir, a todas as horas certas em todos os telejornais, o furo one size fits all conseguido pelo jornal do militante n.º 1. A agit-prop continua de vento em popa.