Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

O estado da danação

por josé simões, em 12.07.17

 

Albert Elm.jpg

 

 

Nem se ouve mudança de discurso, nem se houve um coelho tirado da cartola, nem se a argumentação foi desmontada, nem se antes se disse e agora se desdisse, tudo se resume a ver quem esmurra mais forte o adversário, se possível por knockout, tudo fica lá no mundinho dos comentadores e politólogos das televisões, tudo passa ao lado do cidadão anónimo, este ano com mais dinheiro no bolso, calor a montes, a caminho das férias, há um ano à espera delas, falem com as pessoas na rua e vejam quem é que viu isto, quem é que saiu dos generalistas para os do cabo, andem a pé e de transporte público.

 

[Imagem]

 

 

 

 

||| O estado da Nação

por josé simões, em 08.07.15

 

nancy rica.jpg

 

 

Pedro Passos Coelho não percebe que a ofensa não está no epíteto mentiroso que lhe aplicam mas nas mentiras que despudoradamente prega.


[Imagem]

 

 

 

 

|| A amiga da Direita

por josé simões, em 12.07.13

 

 

 

Será muuuuuito difícil compreender que, nesta hora, mais importante, muito mais importante, que entalar o Partido Socialista [que é a ideia por detrás da ideia, o ódio de estimação] é não dar à Direita a possibilidade de mostrar, para alemão ver e para enganar criancinhas e totós, unidade e coesão?

 

Os Verdes my ass! É mais cor de burro quando foge, que é a cor por que se designam os idiotas, para o caso idiotas úteis.

 

E com isto, o PCP que já tem tempo de antena a dobrar, tempo de intervenção a dobrar nos debates parlamentares, em descarada vantagem sobre todos os outros face ao seu peso eleitoral, consegue apresentar duas moções de censura numa só legislatura, subvertendo legalmente as regras do jogo via um partido que nunca foi a votos por conta própria, além de prestar um inestimável serviço a Cavaco Silva, ao PSD, e ao CDS, não necessariamente por esta ordem.

 

É o sistema político-partidário que temos. É a "inteligência" que temos à esquerda do hemiciclo.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 12.07.13

 

 

 

É com este bailarino que alguns sectores do PS ponderam fazer alianças e/ ou coligação?

 

"A precipitação de eleições quando o programa ainda não chegou a meio seria um erro que abundaria em prejuízos"

 

"Primeiro Portugal, depois o partido e depois as circunstâncias pessoais"

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

|| O estado da Nação (II)

por josé simões, em 16.07.10

 

 

 

Paulo Portas entusiasmado com o discurso de Mariano Rajoy põe-se em bicos de pés para entrar no Governo de submarino.

 

(Imagem de autor desconhecido)

 

 

 

|| O estado da Nação

por josé simões, em 15.07.10

 

 


 

Eu também sou muito chic e uso um reverso Jaeger-LeCoultre no pulso e digo glei môr em vez de gla murre.

 

(Imagem de Tom Kelly via Getty Images)

 

 

 

 

 

|| Todos a S. Bento!

por josé simões, em 02.07.09

 

 

 

Daqui a nada, cortesia do Jorge Seguro, vou estar por lá de arma em punho; leia-se “portátil”. Prometo não destabilizar. Eu sou este.

 

 

 

Animador

por josé simões, em 15.10.08

 

“Isto está tudo armadilhado!”

 

Sobre o estado da Nação, Medina Carreira para Mário Crespo no telejornal da SIC Notícias.

 

 

 

Um alerta

por josé simões, em 22.02.08
1) UM DIFUSO MAL-ESTAR
 
Sente-se hoje na sociedade portuguesa um mal-estar difuso, que alastra e mina a confiança essencial à coesão nacional.
Nem todas as causas desse sentimento são exclusivamente portuguesas, na medida em que reflectem tendências culturais do espaço civilizacional em que nos inserimos. Mas uma boa parte são questões internas à nossa sociedade e às nossas circunstâncias.
 
2) DEGRADAÇÃO DA CONFIANÇA NO SISTEMA POLÍTICO
 
Ao nível político, tem-se acentuado a degradação da confiança dos cidadãos nos representantes partidários, praticamente generalizada a todo o espectro político.
É uma situação preocupante para quem acredita que a democracia representativa é o regime que melhor assegura o bem comum de sociedades desenvolvidas. O seu eventual fracasso, com o estreitamento do papel da mediação partidária, criará um vácuo propício ao acirrar das emoções mais primárias em detrimento da razão e à consequente emergência de derivas populistas, caciquistas, personalistas, etc.
 
3) VALORES, JUSTIÇA E COMUNICAÇÃO SOCIAL
 
Outro factor de degradação da qualidade da vida política é o resultado da combinação de alguma comunicação social sensacionalista com uma justiça ineficaz. E a sensação de que a justiça também funciona por vezes subordinada a agendas políticas.
 
Documento da SEDES na integra aqui.
 
 

O Estado da Nação

por josé simões, em 29.01.07

“Já é tempo, senão mesmo mais do que tempo, para termos uma mulher presidente”.

Hillary Clinton, Des Moines – Iowa

 

Se dúvidas houvessem ficaram ontem completamente desfeitas. Eis a politica à americana no seu melhor.

 

Quais as diferenças entre democratas e republicanos – se é que as há; quais as “fricções” ideológicas; quais as ideias base para a questão iraquiana, duma senadora que votou ao lado de Bush na invasão do Iraque; quais as politicas a adoptar para fazer face ao aquecimento global pelo país que para ele mais contribui? Quais as…?

 

Quem assistiu ao discurso do “Estado da Nação” na passada semana e não soubesse quem era o actor e qual o país onde acontecia, até se podia interrogar se não estávamos num Estado de partido único, tal era a unanimidade nas ovações – algumas até de pé! - ao seu presidente.

 

Uma vez que está lançada a ideia base que vai presidir à campanha de Hillary – a vez das mulheres; aguardamos as declarações de Barack Obama: “Já é tempo, para termos um negro presidente”, ou de Rudolph Giuliani: “Já é tempo, para termos um ítalo-descendente presidente”; ou Mitt Romney: “Já é tempo, para termos um mórmon presidente”.

 

Arrisco mesmo que, o essencial sobre o “Estado da Nação” foi dito ontem, não pelo Presidente, não no Capitólio mas, por uma senadora candidata e numa escola secundária em Des Moines – Iowa.

E o estado da nação não é muito saudável quando as alternativas colocadas em cima da mesa são baseadas no argumento da condição.