Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

O Donaltim

por josé simões, em 13.07.17

 

ventríloco.png

 

 

Bastava estar atento, de véspera, ao que Miguel Morgado e Bruno Maçães diziam e escreviam para saber como ia ser, no dia a seguir, o discurso de Pedro Passos Coelho e para perceber que não tem uma única ideia sua dentro daquela cabeça. A novidade é o aparecimento de Miguel Poiares Maduro na equação e logo com citações na íntegra.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

||| Ah e tal os políticos são mal pagos

por josé simões, em 07.10.14

 

 

 

E Cavaco Silva até está prenhe de razão quando na homilia do 5 de Outubro disse "ah e tal os políticos são mal pagos" porque se os políticos fossem bem pagos os melhores até vinham para a política e além do Pires de Lima e do Paulo Macedo que são do melhorio que há ainda vinham o Belmiro de Azevedo o João Duque o Alexandre Soares dos Santos o César das Neves o Zeinal Bava o Medina Carreira e o Horta Osório que é tão bom tão bom tão bom que até anda a despedir bifes a eito lá no Loyds em Inglaterra enquanto recebe uma pipa de massa do contribuinte inglês que não recebia se estivesse na política portuguesa. E depois disto ideologias à parte fica já aqui escrito e sublinhado que é por causa das moscas um gajo vê que o PCP tem os melhores do PCP na política a ganharem o que os bons políticos não querem ganhar e por isso não vêm para a política e que os melhores do PCP no final do mês ainda entregam o remanescente do ordenado de miséria ao partido. Se calhar é por causa daquela coisa da cousa pública e do bem comum que só se usa nos livros do Rei Artur e do Lancelote e nem sequer se fala disso nas aulas da disciplina de Educação Cívica. Ou se calhar sou eu que ouvi muitas histórias do avô Augusto e do amor à camisola e de andar a construir o estádio do Bonfim depois de sair do trabalho e antes de jogar no domingo contra o Barreirense e irem todos de comboio com o bilhete pago do próprio bolso.


[Imagem]

 

 

 

 

|| "Estou preparado para morrer"

por josé simões, em 27.06.13

 

 

 

"I have fought against white domination, and i have fought against black domination. I have cherished the ideal of a democratic and free society in which all persons live together in harmony and with equal opportunities."

 

"It is an ideal which i hope to live for and to achieve. But if needs be, it is an ideal for which i am prepared to die."

 

A 12 de Junho de 1964, o discurso de um estadista para o mundo, no dia em que foi condenado a prisão perpétua conjuntamente com Mlangeni, Walter Sisulu, Ahmed Kathrada, Govan Mbeki , Denis Goldberg [o único branco], Raymond Mhlaba e Elias Motsoaledi. Para ouvir aqui.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Um partido do arco antidemocrático

por josé simões, em 16.03.13

 

 

 

E eis senão quando, e como que por artes mágicas, o vídeo com o mui famoso e extremamente actual discurso proferido por Paulo Portas no debate "O Estado da Nação" na Assembleia da República em 15 de Julho do Ano da Graça de 2010, e que já havia sido apagado do sítio do CDS-PP, mas que continuava disponível na cache, sofreu a acção do apagador do diligente [re]historiador de serviço à memória centrista-popular. Depois do CDS ter nascido de geração espontânea, com o delete ao pai-fundador, Diogo Freitas do Amaral, em formato moldura a caminho do Largo do Rato, o CDS é finalmente um partido novo e puro como a água da nascente. O problema é que todos os dias o P[artido] P[ortas] faz discursos e diz coisas com piada.

 

Como o apagador ainda não chega a todo o lado, o discurso está disponível aqui. Muito obrigado.

 

[Na imagem "o doutor" [como o doutor Portas gosta] Salazar na "lavoura"]