Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Contas de sumir

por josé simões, em 06.10.17

 

rodland.jpg

 

 

Alguém devia ensinar às Anas Avoilas desta vida uma conta simples de fazer: quando uma empresa privada abre falência, fecha as portas e todos os  que lá trabalhavam vão a caminho do desemprego - sobrecarregar a Segurança Social, e mais o cortejo de miséria que os precede - família, filhos. contas para pagar e, com muito boa sorte, dependendo da idade, depois de muito penar vão iniciar uma carreira para outras bandas e tentar progredir a partir do zero sem metade dos direitos e garantias.

 

Como o patrão das Anas Avoilas deste vida como não abre falência, sobrecarrega os trabalhadores do sector privado com impostos, algumas deslocalizam, outras abrem falência e fecham portas, e todos os  que lá trabalhavam vão a caminho do desemprego - sobrecarregar a Segurança Social, e mais o cortejo de miséria que o precede - família, filhos. contas para pagar e, com muito boa sorte, depois de muito penar, vão iniciar uma carreira para outras bandas e tentar progredir a partir do zero sem metade dos direitos e garantias.

 

A coordenadora da Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública acusa as propostas do Governo para o descongelamento das carreiras na função pública de serem uma "mão cheia de nada"

 

[Imagem]

 

 

 

 

|| O estado da Nação

por josé simões, em 21.01.13

 

 

 

Com o pior Governo da curta história da Democracia portuguesa preso pelos fios do pior Presidente da República da curta história da Democracia portuguesa; com o país prestes a entrar na pior crise social e económica de que há memória, a melhor maneira de dividir os trabalhadores e de os colocar uns contra os outros passa por expor à opinião pública, sem qualquer tipo de comentário ou observação, só as coisas como elas são, a "equidade" entre o sector privado e o sector público. É triste mas é verdade.

 

«O subsídio de desemprego é para despedir. […] na Constituição não estão previstos despedimentos na função pública.»

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Frentes Comuns

por josé simões, em 03.12.09

 

 

 

Já vai sendo tempo de haver uma Frente Comum da Função Privada para defender os interesses de 9 milhões e ½ de portugueses.

 

(Imagem de autor desconhecido)