"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.
04
Jul 15
publicado por josé simões, às 11:03link do post | comentar

 

Jill Magid.jpg

 

 

[Daqui]

 

 

 

 


publicado por josé simões, às 00:01link do post | comentar

 

Leon Levinstein Prospect Park 1958.jpg

 

 

Prospect Park, 1958


Leon Levinstein

 

 

 

 


03
Jul 15
publicado por josé simões, às 17:01link do post | comentar | ver comentários (2)

 

Abu_Nidal.gif

 

 

Corria o ano de 1986, mais própriamente o mês de Setembro, estava a França a ressacar dos atentados terroristas dos anos 70/ 80, Abu Nidal, Fatah, Carlos Martel, Hezbollah - e ainda estava para acontecer o de Fouad Ali Saleh em Paris, andava eu num Interrail e vinha de San Remo, Itália, pela agora famosa fronteira de Ventimiglia, em direcção a Marselha quando, algures entre o Mónaco e Nice, entra no compartimento que partilhava com um casal e respectiva filha, 5/ 6 anos de idade, um fulano de tez escura, assim a atirar para o marroquino/ argelino e com muito muito muito mau aspecto, demasiado mau aspecto até mesmo para os padrões de quem faz Interrail com mochila às costas. Sem se dignar a um bonjour, empurra a menina e senta-se, mais o seu mau aspecto e também falta de educação, com uma mala de viagem entre as pernas. Levanta-se passados 15/ 20 minutos, sai do compartimento e deixa ficar a mala que trazia em cima do banco. Assim que fecha a porta atrás de si diz-me o francês, do casal, pai da menina, “se ele não voltar dentro de 5 minutos deito a mala pela janela”. Mas voltou, saiu algumas estações depois com o mau aspecto com que tinha entrado e lá foi à sua vida. É este o trunfo do terrorismo, o medo do outro, a começar por quem foge aos padrões estabelecidos pela sociedade


"Enquanto aguardava pelo embarque estive a fazer meditação com um cronómetro e tinha no telemóvel caracteres tibetanos, que estive a recitar. Um casal pensou que eu estava a ler passagens do Corão"


"Quando ponho os pés nas escadas do avião, os passageiros estavam todos a olhar para mim. Depois apareceram dois polícia que me puseram no carro e me levaram para a esquadra"


[Imagem]

 

 

 


02
Jul 15
publicado por josé simões, às 23:29link do post | comentar | ver comentários (2)

 

 

 

«Jorge Bravo é economista. Na sua carteira de clientes, destacam-se os fundos de pensões e dos seguros, que há vários anos vêm defendendo um reforço dos descontos para os sistemas privados e que são parte interessada nas políticas públicas para a Segurança Social.


[...]


Mas como a vida custa a (quase) todos, o Governo pagou a Jorge Bravo para que ele defenda que a Segurança Social é insustentável. Desta vez, saíram dos cofres do Estado 75 mil euros. Mas, já em 2013, Jorge Bravo, quando a direita procurava justificar os cortes nas pensões da Caixa Geral de Aposentações (e que foram chumbados pelo Tribunal Constitucional), recebeu do Governo 40 mil euros para fabricar um papel a atestar a insustentabilidade da Segurança Social.»


«Tratado sobre a promiscuidade»

 

 

 

 


publicado por josé simões, às 19:15link do post | comentar

 

histeria1.jpg

 

 

subida de mais de 100% dos encargos líquidos com as estradas em 2014 e a transferência para o bolso do contribuinte a Estradas de Portugal das grandes reparações geram uma poupança na renegociação de 2015 no quê e a favor de quem?


O que vale é que o Governo é amigo do contribuinte e sempre se podem descontar na declaração de IRS as facturas da oficina e, com um bocado de sorte com a factura da sorte, vem um topo de gama novo, com direcção e suspensão nova, mais pneus a estrear e os mestres da propaganda ainda fazem um figurão na campanha eleitoral.


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 


publicado por josé simões, às 12:40link do post | comentar

 

Atenas-Grecia-pensionistas_Alkis-Konstantinidis_Re

 

 

"inaceitável"

 

 

 

 


publicado por josé simões, às 08:05link do post | comentar

 

Several_ISIS_photographers_were_used_to_capture_th

 

 

«Several ISIS photographers were used to capture the horrendous propaganda images, reinforcing the group's horrific reputation for violence»

 

 

 

 


publicado por josé simões, às 08:01link do post | comentar

 

Nicholas Winton.jpg

 

 

Nicholas Winton


1909 – 2015


[Imagem]

 

 

 

 


01
Jul 15
publicado por josé simões, às 23:38link do post | comentar

 

ventríloco.png

 

 

Ou a diferença entre um espectáculo circense e um espectáculo de marionetas:


«Marcelo Rebelo de Sousa defende que é "mau para a coligação" PSD/CDS-PP a apresentação imediata de um candidato presidencial e, por isso, discorda do momento em que Francisco Pinto Balsemão declarou apoio a Rui Rio.»


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 


publicado por josé simões, às 22:37link do post | comentar | ver comentários (1)

 

grécia.jpg

 

 

«Para onde foi o dinheiro emprestado à Grécia?»

 

 

 

 


publicado por josé simões, às 18:37link do post | comentar

 

 

 

E fazendo de conta que a gente não deu por nenhum deputado ter perguntado ao excelentíssimo doutor secretário de Estado por que raios é que um privado vai querer gastar nos próximos 20 anos em juros aquilo que o Estado vai poupar em igual período de tempo e que justifica a que se queira ver livre das empresas, schnell, schnell, que as eleições ao já no fim do Verão, podia ao menoso senhor, excelentíssimo doutor secretário de Estado, ter esclarecido quanto é que o Estado deixou de embolsar, por via dos pagamentos de comissões e avenças várias a escritórios de advogados e facilitadores vários ligados aos partidos da coligação, com ou sem o aval ministerial, numa duplicação de funções e outsourcing que até era para acabar de vez, segundo o Guião para a Reforma do Estado, mesmo com caracteres extra large e espaçamento duplo entre linhas e tudo.

 

 

 

 


publicado por josé simões, às 08:00link do post | comentar

 

selfie-perigosa.jpg

 

 

Não sei o que é mais surpreendente, se o haver pessoas com [falta de] carácter suficiente ao ponto de verem o seu nome associado ao de Pires de Lima  para se fazerem passar por representantes do ministro da Economia, se as pessoas terem já assimilado que representando de Pires de Lima podem retirar vantagens económicas e benefícios vários das privatizações.


[Miguel Pires da Silva e imagem]

 

 

 

 


30
Jun 15
publicado por josé simões, às 18:33link do post | comentar | ver comentários (1)

 

Egibson Liar Alarm Bell metal 2012 perspex, rubber

 

 

Sem sequer conseguir uma linha de raciocínio, mínima que seja, sobre a anormalidade que é a normalidade, a nova, como consequência da “velha”, e sem nunca perceber que o objectivo, principal e único, deviam ser as regras de um jogo viciado em favor de um dos participantes.


A arte de deitar vento da boca para fora enrolado em palavras, com laivos de mentiras para que o discurso pareça credível e verosímil.


«O primeiro-ministro, Passos Coelho, defendeu esta terça-feira que Portugal se deve manter "dentro desta nova normalidade", que considera indispensável para, nos próximos anos, remover "os resquícios de austeridade", sem penalizar os mais vulneráveis e que têm rendimentos mais baixos.»


[Imagem]

 

 

 

 


publicado por josé simões, às 18:02link do post | comentar

 

1 yurko-dyachyshyn-saint-franklin.jpg

 

2 yurko-dyachyshyn-saint-franklin.jpg

 

3 yurko-dyachyshyn-saint-franklin.jpg

 

 

Saint Franklin: money, materialism and morality

 

 

 

 

 

 


publicado por josé simões, às 12:10link do post | comentar

 

1 jakub-geltner-nests-security-cameras-in-nature-s

 

2 jakub-geltner-nests-security-cameras-in-nature-s

 

3 jakub-geltner-nests-security-cameras-in-nature-s

 

 

cc Pedro Passos Coelho e Paulo Portas

 

 

 

 

 

 


publicado por josé simões, às 00:09link do post | comentar | ver comentários (1)

 

kim kardashian instagram.jpg

 

 

"Em Portugal tiram-se selfies na praia, na Grécia tiram-se selfies na fila do multibanco, é essa a diferença entre Portual e a Grécia", Miguel Pires da Silva, líder da Juventude Popular, a jota do CDS, no Prós e Contras na RTP 1.


[Imagem]

 

 

 

 


29
Jun 15
publicado por josé simões, às 22:26link do post | comentar

 

meccano.jpg

 

 

"Eu penso que o Euro não vai fracassar, é uma ilusão o que se diz. A zona do Euro são 19 países, eu espero que a Grécia não saia, mas se sair ficam 18 países"

 

 

 

 


publicado por josé simões, às 19:13link do post | comentar | ver comentários (1)

 

asterix.jpg

 

 

Portugal À Frente, a aliança que nos restituiu a credibilidade lá fora, arranjou dinheiro para pagar salários e pensões cá dentro e ainda encheu os cofres para fazer face a algum imprevisto, nos intervalos de andar nas televisões a pregar moral ao PS e a chamar de irresponsável o PCP e o Bloco.


«“a Parpública não assegurou que os consultores financeiros (seja para a avaliação prévia ou a assessoria no decurso do processo de venda) ficassem impedidos de assessorar posteriormente os potenciais investidores, no mesmo processo, o que veio a acontecer com a contratação do BESI no processo de (re)privatização da EDP e da REN”»


«Não só o banco de investimento do antigo BES prestou serviços ao Estado como avaliador, como depois foi consultor financeiro dos compradores: a China Tree Gorges, no caso da EDP, e a State Grid, compradora da REN.»


«[...] as avaliações económicas e financeiras da REN e da EDP couberam ao Millennium BCP, Caixa Banco de Investimento (CaixaBI) e BESI, entidades que já estavam pré-seleccionadas para o efeito. Mas os restantes trabalhos de consultadoria financeira foram efectuados conjuntamente pelo CaixaBI e pela Perella, que foi subcontratada pelo banco de investimento da CGD “com o consentimento tácito da Parpública, sem estar incluída na lista dos pré-qualificados para a assessoria financeira aos processos de privatização”.»


«[...] a Parpública “não poderia, por acção ou por omissão, consentir a subcontratação por um candidato pré-qualificado de outra entidade que não figurava na lista”. Um subcontratado que agiu “de forma interventiva e autónoma (…) com o assentimento da Parpública”»


«“dualidade de critérios” no processo de selecção dos assessores. É que para a escolha dos avaliadores e assessores jurídicos foram várias as entidades convidadas a apresentar propostas, mas para a assessoria financeira, “cujo valor foi largamente superior ao dos dois primeiros” só foi convidada uma entidade: o CaixaBI.»


«“falta de transparência” no que toca à “contratação de consultores externos associados aos processos de privatização”; acusa-a de incumprir as orientações da Direcção Geral do Tesouro e Finanças (DGFT) em matéria de contratação de consultadoria técnica e também contesta o entendimento da Parpública de que não está sujeita ao código de contratação pública (CCP) e de que não tem por isso de publicar os respectivos contratos no portal BASE.»


«Estas vendas geraram uma receita bruta de 3,2 mil milhões de euros, dos quais 2,7 mil milhões foram entregues pela Parpública ao Estado para amortização da dívida pública, refere o TdC. Apesar de considerar os modelos de privatização e os encaixes “adequados” e de referir o impacto positivo das operações nas avaliações regulares da troika, o Tribunal destaca que, “numa perspectiva de racionalidade financeira, o timing imposto” para a sua concretização representou para o Estado “um custo de oportunidade” por terem sido realizadas num “enquadramento económico muito negativo”, ao que se soma “a perda de dividendos futuros, anualmente distribuídos por estas empresas”»


[Imagem]

 

 

 

 


publicado por josé simões, às 12:29link do post | comentar | ver comentários (2)

 

circus.jpg

 

 

"Se o euro fracassa, a Europa fracassa"


[Imagem]

 

 

 

 


28
Jun 15
publicado por josé simões, às 22:52link do post | comentar | ver comentários (3)

 

euro grego.gif

 

 

Andaram anos e anos e anos, pelos menos 50, com a boca cheia de Churchill, que a democracia era o pior de todos os sistemas com execpção de todos os outros para, afinal, a democracia ser o melhor de todos os sistemas com execepção do sistema do Deus mercado. A Europa morreu, viva a Europa!

 

 

 

 


"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.
twitter / der_terrorist
zequim
pesquisar neste blog
 
Julho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


kim jong
che
support israel
links
View blog authority Twingly BlogRank
subscrever feeds